Destaques do programa Artemisia recebem R$ 20 mil para aumentar o impacto em saúde

Transtorno do Espectro Autista, medicina preventiva e reeducação alimentar são temas das organizações que se destacaram

Giovanna Reis
São Paulo

Um negócio que transforma a relação das pessoas com a comida, uma empresa que monitora sinais vitais para evitar acidentes de trabalho e uma startup com solução para identificar crianças com Transtorno do Espectro Autista são os destaques do Artemisia Lab: Promoção da Saúde e Prevenção. De 390 analisadas, três iniciativas de impacto foram escolhidas para receber o capital-semente de R$ 20 mil.

Destinado a negócios sociais com soluções em saúde voltadas à população de menor renda, o programa de aceleração realizado pela Artemisia, parceira do Prêmio Empreendedor Social, com a Associação Samaritano auxiliou gratuitamente 13 tecnologias de impacto focadas na temática. Entre as aceleradas, foram premiadas as organizações Pé de Feijão, CogniSings e Dersalis.

alunos do programa de aceleração da Artemisia preenchem papéis e cartazes com ideias e estratégias de impacto social
O programa de aceleração Artemisia Lab busca apoiar startups com potencial para impactar milhões de brasileiros, especialmente os mais vulneráveis - Felipe Gabriel/Divulgação

inovação e impacto social na saúde preventiva

A proposta do Artemisia Lab é apoiar uma nova geração de startups com potencial para impactar milhões de brasileiros, especialmente os mais vulneráveis. Desde 2014, 3 milhões de pessoas perderam os planos de saúde em decorrência do desemprego ou da necessidade de reduzir custos —realidade que motiva o projeto de potencialização às iniciativas de impacto em saúde.

Criada após o susto da empreendedora Luísa Haddad ao receber resultados de exames que indicavam uma alimentação desregrada, a Pé de Feijão existe para promover a reeducação alimentar a colaboradores de empresas, clientes e comunidades. Por meio de dinâmicas e atividades, a iniciativa gera mudanças de comportamento e reconexão das pessoas à alimentação, desconstruindo a ideia de que alimentos saudáveis são sinônimos de dieta.

A CogniSigns, por sua vez, conta com hardware e software com sensores não invasivos que identificam respostas comportamentais e fisiológicas em crianças. A solução criada pelo administrador Leandro Mattos e pela psicóloga Andressa Roveda identifica possíveis portadores do Transtorno de Espectro Autista em escolas infantis. Entre os impactos sociais do negócio, estão a redução de custo de exames e o aumento da eficácia do tratamento a partir do diagnóstico precoce. 

Já a Dersalis, fundada pela dupla de médico e engenheiro André Rocha Soares e Pedro Henrique Guizardi, atua no monitoramento de saúde para promover a medicina preventiva, capaz de diminuir riscos no trabalho e melhorar a vida dos funcionários. Com o uso de uma pulseira inteligente e aplicativos, são coletados e armazenados tanto sinais vitais quanto aspectos relacionados ao estresse, sono e fadiga no trabalho.

Além do aporte financeiro, as startups escolhidas serão contempladas com mais três meses de acompanhamento personalizado. De acordo com Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia, os negócios contemplados apresentaram um avanço relevante ao longo do programa, com resultados efetivos em um curto período de tempo e rápido aprendizado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.