Iniciativas brasileiras de mobilidade e inclusão estão na final do Prêmio Fundação Volkswagen

De 406 inscrições, foram escolhidas seis organizações para terem seus projetos fortalecidos e atuação aprimorada

São Paulo

A Fundação Volkswagen divulgou as organizações finalistas do primeiro Prêmio Fundação Volkswagen, realizado em parceria com a Yunus Corporate Social Innovation.

Ao todo, a premiação recebeu 406 inscrições de todos os Estados brasileiros e Distrito Federal. Os critérios de seleção incluíram escopo e maturidade da solução, sustentabilidade financeira e potencial de impacto. Além disso, os representantes passaram por entrevistas online. 

Entre setembro e novembro, os finalistas participarão de um programa de aceleração em São Paulo, com mentorias presenciais e acompanhamento remoto, a fim de aprimorarem seus projetos e fortalecerem a atuação de suas organizações.

Ao final, três iniciativas —uma em cada causa— receberão R$ 100 mil, além de uma assessoria pós-investimento, que visa garantir a efetividade da ação.

Organizações finalistas do Prêmio Fundação Volkswagen

Foram selecionados seis negócios sociais para o programa de aceleração na capital paulista

  1. Carona a pé

    Oriunda de São Paulo, a plataforma colaborativa tem como objetivo formar adultos responsáveis e aptos para conduzir crianças a pé até as escolas pelas rotas mapeadas e definidas pela organização. O projeto capacita os interessados por meio de encontros presenciais e virtuais.

  2. Viver de bike

    Criada pelo Instituto Aromeiazero, de São Paulo, essa tecnologia social é estruturada a partir de um curso de mecânica básica de bicicletas e empreendedorismo. Cada aluno reforma uma bicicleta durante as aulas e fica com ela ao final. As unidades que sobram são vendidas ou alugadas para passeios.

  3. As Marias - mulheres negócio e gênero

    O projeto oferece educação empreendedora, microcrédito orientado e desenvolvimento local para mulheres de baixa renda, atuando em diversos segmentos, como comércio, serviço, indústria e agricultura familiar.

  4. Preta Lab

    Criada pela OLABLORG, a ação é voltada para a inclusão de mulheres negras na tecnologia. A fim de combater o problema da falta de diversidade no cenário tecnológico, o projeto atua por meio da articulação de rede e de campanhas públicas pela inclusão no mercado de trabalho.

  5. Rede Ester

    O projeto "Rede Ester, assessoria para inclusão" do Instituto Ester Assumpção procura assessorar online e presencialmente organizações que precisam cumprir a lei de cotas ou desejam melhorar seus processos inclusivos.

  6. Imersão Maker

    A iniciativa do Instituto MeViro consiste na promoção de aprendizagem experiencial contínua de jovens com deficiência. São desenvolvidas habilidades no uso de tecnologia de fabricação digital para a criação de projetos assistivos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.