Carrefour, Pão de Açúcar e UOL/PagSeguro doam cestas básicas para famílias vulneráveis

Alimentos serão distribuídos por ONGs que prestam assistência a comunidades e grupos impactados pelo coronavírus

São Paulo

O Grupo Carrefour Brasil anunciou nesta quinta-feira (16) a doação de R$ 15 milhões em cestas básicas para famílias mais vulneráveis à pandemia da Covid-19. ​

Foi lançado o movimento “Compra Solidária”, em que, a cada R$ 1,00 doado por clientes e colaboradores, o Carrefour vai dobrar o valor arrecadado.

As doações podem ser feitas por meio do site da campanha. Já os clientes que forem às lojas da rede Carrefour podem optar por contribuir direto no caixa.

Todo o valor arrecadado com esta iniciativa será revertido em vale-alimentação, de R$ 80 a R$ 100, para entidades que apoiam pessoas e famílias em vulnerabilidade social. As unidades do Atacadão também participam da iniciativa e estarão todas preparadas para receber doações de alimentos não perecíveis e itens de higiene.

Também em formato de campanha, o Grupo Pão de Açúcar já arrecadou junto a seus clientes mais de 700 toneladas de alimentos e produtos de higiene pessoal, a serem distribuídas para comunidades de todo o Brasil.

Os clientes interessados em participar podem contribuir com alimentos não-perecíveis e produtos de higiene pessoal e limpeza. A arrecadação continua por meio dos mais de mil pontos de coleta instalados em todas as lojas Pão de Açúcar, Extra, Assaí e Compre Bem do país, além dos apps Pão de Açúcar Mais e Clube Extra.

Serão disponibilizadas cestas básicas a preço de custo para parceiros do GPA que queiram realizar doações, com retirada na central de distribuição da companhia.

O UOL, empresa do Grupo Folha, que edita a Folha, e a PagSeguro também doaram mais de 45 mil cestas básicas e 55 mil quentinhas para ONGs que atuam no amparo às famílias mais carentes.

Uma das organizações selecionadas é o Banco de Alimentos, integrante da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais. A instituição combate a insegurança alimentar no Brasil há mais de 20 anos e recebeu do UOL mais de 17 mil cestas básicas, a serem distribuídas na Grande São Paulo.

Segundo Luciana Quintão, fundadora da ONG, "52 milhões de brasileiros vivem em situação de insegurança alimentar, e hoje a situação se agravou. A fome não pode esperar. Obrigada, equipe UOL/PagSeguro, por nutrir milhares de pessoas".

O grupo doou ainda outras 19 mil cestas e produtos de higiene para a Ação da Cidadania, fundada há 30 anos pelo sociólogo Hebert de Souza, o Betinho. Doações a serem distribuídas em vários estados.

Para a União dos Moradores de Paraisópolis, comunidade com 100 mil habitantes na zona sul de São Paulo, foram destinadas 9.000 cestas, 55 mil quentinhas e 6.700 ovos de Páscoa.

"Precisamos dessa solidariedade para resistir à situação que atravessamos", afirmou Gilson Rodrigues, presidente da associação de moradores, ao receber a doação do UOL/PagSeguro.

Além de alimentos, o grupo doou 1.500 máscaras de proteção para o Hospital do Campo Limpo e unidades de atendimento à saúde da zona sul de São Paulo.

Ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, a Missão Social —instituição mantida pela Social Bank— lançou o projeto "Cesta Social Digital". A iniciativa oferece um crédito mensal para que mais de mil famílias em situação de maior vulnerabilidade social e econômica consigam comprar alimentos e outros itens de necessidade primária.

A seleção das famílias aptas a receber o benefício é feita a partir de organizações e associações parceiras. Por meio da conta digital Social Bank, os beneficiários receberão o valor equivalente a duas cestas por mês, por três meses, para suprir seus gastos básicos durante a pandemia do coronavírus.

Cada cesta digital custa R$ 50 e alimenta uma família de 5 pessoas por 15 dias. Aqueles que quiserem contribuir podem doar R$ 50 ou mais pelo aplicativo do Social Bank ou via transferência bancária, para Missão Social Bank / CNPJ: 29.792.448/0001-77 / Banco Itaú (341) / Agência: 8217 / C/C: 22254-9.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.