Programa oferece 200 vagas para curso gratuito de desenvolvedores

Curso online Recode Pro é voltado para jovens em vulnerabilidade que buscam oportunidades na área de tecnologia

São Paulo

A Recode, organização que usa a tecnologia para gerar transformação social, lançou o Recode Pro 2020, programa de formação profissional gratuito e online.

O curso é voltado para jovens em vulnerabilidade social que buscam oportunidades na área de tecnologia como desenvolvedores full stack —profissionais que atuam em várias partes de um projeto de um software (sistemas e aplicativos), criando a interface, o código e o banco de dados.

Com 6 meses de duração, é aberto também para aqueles sem experiência na área de tecnologia. Interessados devem se inscrever pela plataforma recodepro.org.br.

O Recode Pro é voltado para jovens em vulnerabilidade social que buscam oportunidades na área de tecnologia como desenvolvedores
O Recode Pro é voltado para jovens em vulnerabilidade social que buscam oportunidades na área de tecnologia como desenvolvedores - Divulgação

Além do conteúdo técnico, o programa desenvolve capacidades essenciais para o mundo do trabalho, como comunicação, criatividade, atuação profissional e resolução de problemas.

Para participar da formação Recode Pro é preciso ter entre 18 e 39 anos, ensino médio completo e renda familiar de até um salário mínimo por pessoa.

Além disso, o Recode Pro preza pela diversidade. Pelo menos 51% dos participantes serão negros, pardos ou indígenas, 40% serão mulheres e, como critério de desempate, PCDs e LGBTQI+ terão prioridade.

Respeitando o isolamento social, esta edição será totalmente online com a supervisão de monitores via lives e webinars.

Na formação de 2019, cerca de 80% dos participantes conseguiram emprego. O salário médio de contratação desses jovens é de R$ 4.500,00.

João Vitor Garcia, aluno do Recode Pro 2019 na turma de São Paulo, estava desempregado e buscando recolocação. Ele diz que aprendeu no Recode Pro sobre programação e as relações humanas, “mas o mais importante foi descobrir todo o meu potencial, e isso mudou a minha vida”. Após o curso, o jovem foi contratado pela Coteminas.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), em 2019, existiam 160 mil vagas não preenchidas nesse mercado de tecnologia.

O Recode Pro entra nesse contexto, o de ampliar o horizonte de brasileiros que correm o risco de serem excluídos deste novo mercado de trabalho pela simples incapacidade tecnológica.

Ao final da formação, os alunos participam de uma feira de talentos, onde são colocados em contato com profissionais de RH de grandes empresas do mercado.

Para Rodrigo Baggio, fundador e presidente da Recode, vivemos em uma nova sociedade onde o mundo digital se tornou fundamental.

“Estamos no alvorecer da quarta revolução industrial. Hoje, o que se fala no mundo é sobre as novas habilidades digitais, como se adaptar e se recodificar. O Recode Pro é a solução da Recode para formar e inspirar jovens em situação de vulnerabilidade para serem participantes desse novo mundo”, afirma.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.