Descrição de chapéu Dias Melhores

Iniciativa conecta quem precisa desabafar a voluntários dispostos a ouvir

Sabiah nasceu no início da quarentena, por meio e um post no LinkedIn

São Paulo

É normal que, durante o período de isolamento social, aumentem os sintomas de ansiedade e depressão. Algo que pode contribuir para a saúde mental é a conversa, uma vez que nomear as emoções é uma forma efetiva de lidar com elas.

Para quem precisa conversar, a plataforma Sabiah promove conversas gratuitas, online e individuais com alguém do grupo de conselheiras e conselheiros voluntários —pessoas comuns que disponibilizam seu tempo para ouvir e aconselhar quem precisa.

As conversas podem ser temáticas, como o "Bate Papo sobre Carreira", primeiro tema da Sabiah que visa orientar as pessoas com dicas sobre como preparar seu currículo e ajudar a refletir sobre seu futuro profissional.

Iniciativa nascida de um post do LinkedIn conecta voluntários dispostos a ouvir a pessoas que querem desabafar
Iniciativa nascida de um post do LinkedIn conecta voluntários dispostos a ouvir a pessoas que querem desabafar - Divulgação

Já o tema "Espanta Solidão" estimula conversas com quem se sente só durante o isolamento, enquanto o "Maternidade & Relações Familiares" é destinado àqueles que desejam falar sobre essas conexões.

Recentemente foi lançado o bloco "Vivência no Exterior" e o "Bate Papo sem Preconceito", que explora temas como racismo, LGBTfobia e equidade de gênero.

Segundo Mariana Busani, fundadora da organização, a Sabiah nasceu de um post dela no LinkedIn, publicado no início da quarentena.

"Nele me coloquei à disposição para ajudar quem precisasse falar sobre carreira ou futuro profissional em tempos de incerteza. No entanto, eu não esperava receber a quantidade de mensagens que recebi. Com isso, três amigas se envolveram na iniciativa e dividiram a agenda de conversas", conta Mariana.

"Juntas transformamos essa ação em uma plataforma de verdade."

Desde maio, a Sabiah já ajudou mais de 200 pessoas e alcançou resultados gratificantes e emocionantes, segundo Mariana, como pessoas que conseguiram emprego e outras que dizem ter tomado atitudes que ajudaram a seguir em frente.

As conversas com voluntários da plataforma são gratuitas e podem ser agendadas por qualquer pessoa pelo site da iniciativa.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.