Programa oferece formação e fomento financeiro para organizações

Percurso formativo realizado por Itaú Social e Unicef premia instituições com até R$ 100 mil

São Paulo

O Prêmio Itaú-Unicef, que há 25 anos reconhece iniciativas de educação integral no país, transformou-se no Programa Itaú Social UNICEF.

O objetivo da mudança é ampliar o fortalecimento de organizações da sociedade civil que, além do fomento financeiro e técnico, participarão de percurso formativo para aprimorar o olhar estratégico sobre sua missão, ações e práticas voltadas ao desenvolvimento pleno de crianças e adolescentes.

As inscrições estão abertas a partir desta segunda-feira (20) e vão até 21 de agosto. O investimento total previsto para esta edição é de R$ 4 milhões.

Projeto "Refúgio - construindo um mundo melhor", da organização Refúgio, que defende e garante os direitos de crianças e adolescentes, além de promover o acesso a esporte e cultura. A iniciativa foi vencedora na última edição do Prêmio Itaú-Unicef, em 2018
Projeto "Refúgio - construindo um mundo melhor", da organização Refúgio, que defende e garante os direitos de crianças e adolescentes, além de promover o acesso a esporte e cultura. A iniciativa foi vencedora na última edição do Prêmio Itaú-Unicef, em 2018 - Itaú Social/Divulgação

As instituições inscritas participarão de percurso formativo, que culminará na elaboração de um plano de intervenção.

Entre as organizações que concluírem todas as etapas, 40 serão selecionadas para receber até R$ 100 mil cada uma, para a implementação do plano.

A seleção terá como um dos principais critérios a vulnerabilidade socioeconômica e educacional dos municípios em que as organizações atuam.

Além disso, 80% das vagas serão oferecidas prioritariamente às regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, em que tradicionalmente há menor incidência de apoios.

Outra mudança importante do processo é que as organizações não precisam mais submeter um projeto para a inscrição no programa. Mas é determinante que estejam preparadas para participar do percurso formativo a distância com duração de três meses.

O programa é aberto para organizações da sociedade civil com pelo menos um ano de atuação no país e que trabalhem na perspectiva da educação integral e inclusiva, com ações diretas para e com crianças e adolescentes.

As escolas, que antes concorriam ao prêmio, não podem mais se inscrever diretamente, mas podem ser parceiras territoriais das organizações.

Durante o programa, as organizações participam de percurso formativo de três meses e, em seguida, elaboram o plano de intervenção para o território, comprometido com resultados, para se tornarem elegíveis ao fomento técnico e financeiro.

As atividades do percurso envolvem a escuta e a participação tanto dos profissionais das organizações como do público atendido (famílias, comunidades e parceiros). Os conteúdos também visam promover a reflexão a respeito da promoção da igualdade de direitos.

Mais informações estão disponíveis no site do programa.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.