Descrição de chapéu Coronavírus

Brasil tem 99 novas mortes por coronavírus; total é de 1.223

Balanço da pasta também apontou 22.169 casos confirmados da Covid-19

Brasília

O Brasil já registra 1.223 mortes pelo novo coronavírus, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados neste domingo (12). Até sábado, eram 1.124 mortes.

Foram registradas, portanto, 99 mortes nas últimas 24 horas. O número indica o segundo dia consecutivo com número de óbitos inferior a 100.

No entanto, o próprio Ministério da Saúde costuma esclarecer que os dados coletados durante os fins de semana tendem a ser imprecisos, pois as equipes de saúde nos estados trabalham em número reduzido. Logo, uma quantidade inferior de testagem para o novo coronavírus consegue ser realizada.

Balanço da pasta também aponta 22.169 casos confirmados da doença. No dia anterior, o país ultrapassou os 20 mil casos confirmados de Covid-19, com 20.727 no total.

São Paulo, o estado mais populoso do país, se mantém como o líder em número de casos registrados, com 8.755 no total. O estado também tem o maior número de mortes em decorrência do novo coronavírus: 588.

O Rio de Janeiro contabiliza 170 mortes desde o início do surto. Na sequência aparecem Pernambuco, com 85; Ceará, com 74; e Amazonas, 62.

Além de São Paulo, os outros estados que apresentam o maior número de casos de coronavírus são o Rio de Janeiro, com 2.855 infecções; o Ceará, com 1.676; o Amazonas, com 1.206; e Pernambuco, com 960.

A relação entre o número de casos e mortes em Pernambuco sugeriria inicialmente uma alta letalidade do vírus no estado. Em entrevista coletiva nesta semana, no entanto, o secretário de vigilância em saúde do ministério, Wanderson de Oliveira, informou que as equipes de saúde naquele estado estão aplicando os testes apenas nos casos considerados graves.

Os dados do Ministério da Saúde também indicam que seis estados estão em estado de "emergência", quando considerado o número de casos registrados um milhão de habitantes. Apresentam alto coeficiente de incidência Amazonas (287 por 1 milhão de habitantes), Amapá (267), Distrito Federal (201), São Paulo (189), Ceará (182) e Rio de Janeiro (164).

Esses estados estão entrando em transição para a fase de "aceleração descontrolada", segundo a pasta. Neles, o coeficiente de incidência já é 50% acima da taxa nacional.

Apesar de figurar neste grupo, o Distrito Federal vem relaxando as suas regras de quarentena. Depois de permitir a reabertura de bancos, casas lotéricas e feiras, o governador Ibaneis Rocha (MDB) publicou um decreto autorizando o funcionamento de lojas de móveis e eletroeletrônicos. No sábado (11), aglomerações se formaram em estabelecimentos com pessoas buscando presentes de Páscoa.

O Brasil ultrapassou na semana passada a marca de mil mortes em decorrência do coronavírus, desde o início da pandemia. O ministério, porém, tem informado que o número real de casos tende a ser maior, já que só pacientes internados em hospitais fazem testes e há casos represados à espera de confirmação.

Apesar do alto número de casos, o ministério avalia que o Brasil ainda se encontra em uma fase inicial da epidemia. A previsão é que o pico de infecções do vírus em território brasileiro aconteça entre o fim de abril e início de maio.

Na sexta, o aumento recente da ocupação de leitos hospitalares levou o Ministério da Saúde a iniciar uma distribuição de 60 respiradores para três capitais: Fortaleza, Manaus e Macapá.

A situação em Manaus já é descrita por membros do governo como próxima de um colapso.
Diante do risco, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse neste sábado que o governo pretende instalar um hospital de campanha na cidade.

A unidade deverá ser a segunda do país. Um primeiro hospital está em obras em Águas Lindas (GO), a 57 km de Brasília.

Mandetta, no entanto, não quis dar prazo para a obra em Manaus. Já a previsão de entrega da unidade goiana é de duas semanas.

Segundo o ministério, cada um dos hospitais deve ter 200 leitos adaptáveis para unidades de tratamento semi-intensivas, com tubulação e suporte para respiradores.

Erramos: o texto foi alterado

Versão anterior deste texto apontou que o número de mortes por coronavírus no estado de São Paulo até domingo (12) é de 855. O certo é 588. O erro foi corrigido.

 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.