Ministério da Saúde fará 125 milhões de ligações em busca de possíveis casos do novo coronavírus

Serviço também será usado para monitorar pessoas com sintomas e indicar o momento em que devem ir à rede de saúde

Brasília

“Você tem apresentado febre e tosse, ou febre e dor de garganta?”

A pergunta faz parte de um serviço de ligações automáticas criado pelo Ministério da Saúde para verificar possíveis casos de infecção pelo novo coronavírus.

A nova ferramenta foi anunciada na noite desta quarta-feira (1º). A previsão é que sejam feitas até 125 milhões de ligações por meio do telefone 136, que já dá orientações sobre saúde.

O objetivo é fazer análise a distância de possíveis sintomas relatados e mapear áreas de risco de transmissão do vírus.

“Fizemos um algoritmo que faz disparo de ligações para 125 milhões de brasileiros. Esses disparos estão ligados em um grande data center, que irá nos ajudar a antecipar o nome das pessoas, onde elas estão, se são grupo de risco, com quem convivem”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

“É como se fosse uma consulta, por meio de uma voz artificial, que vai fazer uma triagem”, compara.

No serviço, um robô anunciará a ligação e perguntará se a pessoa tem sintomas.

“Como você deve saber, as autoridades estão muito preocupadas com a epidemia do coronavírus. Queremos enfrentar essa situação junto com você. Para isso, precisamos que responda a algumas questões sobre sua saúde”, informa o início da mensagem. “Você tem apresentado febre e tosse, ou febre e dor de garganta?”

Com a resposta negativa, o serviço orientará permanecer em casa sempre que possível e evitar aglomerações. Também informará sobre medidas básicas de prevenção, como lavar constantemente as mãos e cobrir boca e nariz com o braço ao espirrar e tossir.

Já em caso de resposta positiva, as orientações devem variar conforme os sintomas. Em casos leves, o ministério tem orientado que as pessoas fiquem em isolamento domiciliar.

O serviço deve então fazer novas ligações monitoramento. Em caso de piora, a orientação é procurar uma unidade de saúde ou hospital de referência.

O ministério também criou um aplicativo, chamado de Coronavírus SUS, para enviar mensagens e alertas a celulares e tablets sobre a doença. O aplicativo já está disponível em plataformas para download, informa a pasta.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.