Descrição de chapéu Coronavírus

Teich defende distanciamento social um dia após Bolsonaro atacar a medida

Em sua primeira viagem oficial, ministro da Saúde visita Manaus

Manaus

Um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro voltar a desrespeitar e a atacar o distanciamento social, o novo ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou que a política oficial do governo federal é a de manutenção dessa medida para enfrentar a pandemia.

“A gente tem deixado claro que não existe uma mudança de política em relação ao distanciamento, tem de ser mantido”, disse Teich nesta segunda-feira (4), após visita ao Comando Militar da Amazônia (CMA), em Manaus. “Neste momento, a política de distanciamento não foi mudada.”

As declarações de Teich repetem o roteiro do seu antecessor, Luiz Henrique Mandetta, demitido por Bolsonaro após defender enfaticamente o isolamento, medida criticada reiteradas vezes pelo presidente.

Como tem sido a praxe, neste fim de semana, Bolsonaro voltou a desafiar o isolamento social e a promover aglomerações. No sábado (2), ele visitou duas cidades de Goiás, onde cumprimentou apoiadores e gerou tumulto. No dia seguinte, cumprimentou simpatizantes reunidos em frente à Praça dos Três Poderes.

Aos apoiadores, Bolsonaro repetiu o discurso de que as medidas de isolamento estão destruindo os empregos. “É inadmissível”, afirmou. Para ele, o efeito colateral das restrições pode ser mais “danoso" do que o próprio coronavírus.

A chegada de Teich ao Amazonas coincide com mais um novo recorde de novos casos confirmados em 24 h, 621 registros neste domingo (3). O total de mortos chega a 548, e 1.901 se recuperaram da doença no estado.

A agenda de Teich em Manaus inclui visita a hospitais e encontros com o governador Wilson Lima (PSC) e Arthur Virgílio Neto (PSDB).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.