Descrição de chapéu Coronavírus

Doria adianta reabertura de academias de ginástica e eventos com pessoas sentadas

Locais para exercícios poderão funcionar com 30% de capacidade; ainda não há prazo para reabertura

São Paulo

O governo João Doria (PSDB) anunciou nesta nesta sexta (3) a antecipação do funcionamento de academias de ginástica e eventos, relaxando a quarentena para deter o vírus mais rapidamente do que o esperado.

Os setores poderão abrir já na fase três (amarela), embora estivessem previstos para fazê-lo apenas em fases mais avançadas, informou o governo durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

A Folha apurou que o aval para academias e eventos pegou a gestão Bruno Covas (PSDB) de surpresa. O prefeito diz que ainda receberá os protocolos de reabertura dos setores.

Para as academias, na capital, a reabertura já poderá acontecer na próxima semana, desde que haja aprovação de protocolos pela prefeitura.

Mas em relação aos eventos a previsão é que aconteça no fim do mês, dependendo de como estiverem os índices. Os eventos só poderão acontecer após a localidade onde estão permanecer durante 28 dias seguidos na fase 3 (amarela).

As atividades incluídas, segundo o governo, incluem museus, galerias de arte, bibliotecas, teatros, cinemas, salas de espetáculo. Para os eventos do setor comercial, estão incluídas feiras convenções e congressos. Até atividades esportivas entraram no pacote.

O estado de São Paulo acumula mais de 15 mil mortes decorrentes da Covid-19, cerca de metade delas na capital, mas vem dando sinais de uma incipiente estabilização nas últimas duas semanas.

“Academias no modelo tradicional estão previstas para funcionar na fase verde [a quarta, seguinte à amarela atual]. Nessa etapa elas podem ter ocupação de 30%, funcionamento de seis horas e as atividades individuais são permitidas”, disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

“Só as [atividades] individuais, permitidas através de agendamento, protocolo específico. Com destaque para limpeza intensificada e restrição do uso dos vestiários.”

Há previsão de que haja agendamento prévio também da clientela.

Já os eventos, convenções e atividades culturais com público sentado devem ocorrer com capacidade máxima de 40% e funcionamento reduzido por seis horas. Haverá suspensão do consumo de bebidas e controle de acesso.

“O que fizemos foi ver quais são novos modelos que permitem o funcionamento em outras etapas, com controle adequados para saúde, mas também garantindo mínimo funcionamento necessário para economia para setores que estão sofrendo tanto”, disse Ellen.

Há eventos descritos que têm pessoas em pé, porém, como as feiras comerciais.

O secretário de Esportes, Aildo Rodrigues, disse que os jogos esportivos poderão acontecer, sem torcida. “Eles estão inclusos dentro do cronograma apresentado desde que a localidade cumpra as quatro semanas na fase amarela. Ou seja, a partir de 27 de julho.”

Os anúncios não foram bem recebidos na área da saúde.

Abrir academias, bares e restaurantes neste momento não é seguro em nenhuma hipótese, segundo Natália Pasternak, pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e presidente do Instituto Questão de Ciência. “As pessoas podem achar que estão seguras e a reabertura pode ser um tiro que saia pela culatra”, afirma.

Infectologista do hospital Emílio Ribas, Jamal Suleiman acredita que as reaberturas anunciadas nesta sexta-feira foram precipitadas. “Isso demonstra que o poder econômico venceu e a iniciativa política faliu, uma é incapaz de sustentar uma informação técnica, de amparo social”.

Richard Bilton, presidente da Companhia Atlética e diretor da Associação Brasileira de Academias, acredita que, se as academias seguirem à risca os protocolos sanitários, a reabertura será permanente. “A última coisa que queremos é servir de mau exemplo”, diz ele.

O estado registrou nesta sexta-feira (3) 15.694 óbitos e 310.517 casos confirmados do novo coronavírus. Doria havia dito no início da semana que a doença havia atingido o platô de estabilização de casos, mas, nesta sexta, disse que se referia apenas à capital.

A cidade de São Paulo deverá reabrir restaurantes, bares e salões de beleza a partir de segunda. Já o interior teve mais uma região fechada, Campinas, que regrediu da fase laranja para a vermelha. Com isso, não poderá ter comércios abertos, apenas os considerados essenciais.

Apesar da reabertura, o governo ressaltou é que a recomendação para pessoas em grupo de risco é que fiquem em casa. Também ressaltou que uso de máscara é obrigatório, inclusive para o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), caso ele passe pelo estado.

Colaboraram Isabella Menon e Guilherme Botacini

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.