Descrição de chapéu Coronavírus

SP entrará em fase vermelha todos os dias às 20h contra agravamento da pandemia

Medida, em que bares, restaurantes e comércio não essencial fecham, valerá para o dia nos fins de semana e feriados

São Paulo

O governo de São Paulo decidiu endurecer a quarentena devido ao agravamento da pandemia da Covid-19 no estado.

A fase vermelha valerá para todas as cidades paulistas a partir das 20h, todos os dias da semana. Nos fins de semana e feriados, a medida valerá durante o dia e a noite. A medida será implementada a partir da segunda (25).

A indígena Iasmin Pires, da aldeia Krukutu (sul da capital paulista) é vacinada contra a Covid-19
A indígena Iasmin Pires, da aldeia Krukutu (sul da capital paulista) é vacinada contra a Covid-19 - Danilo Verpa/Folhapress

Com isso, serviço presencial em bares e restaurantes, comércio não essencial como shopping centers e serviços como salões de beleza estão proibidos de funcionar até a manhã seguinte —o horário preciso será anunciado nesta sexta, provavelmente 8h.

A medida mais draconiana se deve à piora substancial do quadro de infecções e mortes pelo novo coronavírus no estado mais populoso da Federação.

Só nos 21 primeiros dias deste ano, o aumento de casos foi de 42% ante o mesmo período de dezembro passado. Morreram 39% mais pessoas de Covid-19 também neste intervalo.

Foram 62 mil novos diagnósticos e 1.100 óbitos. Ao todo, São Paulo registrou desde o começo da pandemia no estado, em fevereiro de 2020, 1,66 milhão de casos e 50,6 mil mortes.

A informação acerca dos fins de semana e feriados havia sido revelada pelo site do jornal O Estado de S. Paulo e confirmada pela Folha.

A decisão, assim como a sobre os outros dias da semana, foi tomada numa reunião no começo da noite no Palácio dos Bandeirantes.

Inicialmente, como publicado em versão inicial deste texto, a decisão era para que a restrição noturna começasse nesta sexta (22), mas uma nova avaliação feita nesta manhã decidiu que seria melhor dar mais tempo para os setores afetados se adaptarem.

O diagnóstico do Centro de Contingência do Coronavírus, painel de 20 especialistas e autoridades de saúde que lida com decisões práticas acerca da pandemia no estado, é de que é preciso coibir principalmente as aglomerações proporcionadas por bares e restaurantes.

Eventos também ficam proibidos enquanto a medida estiver valendo.

O governo estadual também deverá divulgar nesta sexta um pacote de aumento de leitos hospitalares —tanto de UTI quanto enfermarias. Deverão ser abertos mais de 700 novas vagas, provavelmente em esquema de hospital de campanha.

A taxa de ocupação geral de UTIs é a que mais preocupa. Saltou de 61,8% para 70,8% do começo do mês para cá. Na Grande São Paulo, foi de 66,9% para 71,5%, um número mais estável. São 13.711 doentes de Covid-19 internados no estado, 6.053 deles em UTIs.

As medidas ocorrem enquanto começa, ainda em ritmo lento e sob a sombra da demora para a chegada de insumos da China, da campanha de vacinação com a Coronavac, imunizante patrocinado por São Paulo e desenvolvido em parceria entre a chinesa Sinovac e o Insituto Butantan.

Até esta quinta (21), foram mais de 50 mil os vacinados, de grupos prioritários, no estado.

Erramos: o texto foi alterado

Versão anterior desse texto dizia que as novas restrições do Plano São Paulo entrariam em vigor nesta sexta (22). O texto foi corrigido, pois houve mudança de orientação do governo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.