Descrição de chapéu Coronavírus

Saiba o que é o vírus da doença de Newcastle, base para a vacina do Butantan contra a Covid-19

Butanvac usa vírus que ataca aves, mas não causa danos a humanos, para carregar proteína do Sars-CoV-2

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A vacina experimental Butanvac, anunciada pelo Instituto Butantan nesta sexta-feira (26) para ser usada contra o coronavírus Sars-CoV-2, causador da Covid-19, usa o vírus da doença de Newcastle (DNC) como vetor para carregar a informação genética do coronavírus.

O vírus da DNC ataca aves, como galinhas e perus, e ainda algumas espécies de répteis e mamíferos. Nas aves, a doença é grave e pode causar grandes perdas aos produtores, mas não representa perigo aos seres humanos. Existe uma vacina capaz de imunizar as aves contra a doença, felizmente.

Embalagem da vacina Butanvac, desenvolvida pelo Instituto Butantan
Embalagem da vacina Butanvac, desenvolvida pelo Instituto Butantan - Leonardo Benassatto/Reuters

Segundo Leandro Araújo Lobo, professor do Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o vírus da DNC é praticamente inofensivo aos seres humanos. Ele até pode infectar uma pessoa, mas na maior parte dos casos, não há nenhum sintoma. Em raríssimas ocasiões, sintomas leves, como febre, podem ocorrer.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, os últimos casos confirmados da doença no Brasil ocorreram em 2006 em aves de subsistência, nos estados do Amazonas, Mato Grosso e Rio Grande do Sul.

Antes de ir parar na formulaçao da vacina, o vírus que também carregar a informação genética do Sars-CoV-2, é fragmentado e inativado para não gerar nenhum tipo de doença em quem receber o imunizante.

A vacina do Butantan usará milhões de ovos em sua linha de produção. Na prática, eles funcionarão como pequenas usinas produtoras da vacina.

O vírus da DNC geneticamente modificado, carregando a informação genética do Sars-CoV-2, vai ser injetado no ovo atravéz de um pequeno furo com uma agulha. Ali, o vírus vai se multiplicar para, no fim do processo, fazer parte da vacina com outras substâncias.

"Uma das etapas mais limitantes para a produção de uma vacina é fazer essa multiplicação de vírus. Algumas técnicas usam um tipo específico de células, mas isso deixa o produto mais caro. A técnica de usar ovos sai muito mais barata", diz Lobo.

O Butantan afirma que o uso do vírus da DNC, que infecta células de galinha, permite que o patógeno se desenvolva bem em ovos embrionados da espécie, permitindo eficiência produtiva num processo similar ao utilizado na vacina da gripe.

Os benefícios do vírus da DNC para a saúde humana podem ir além da vacina apresentada pelo Butantan. Pesquisadores de diversos países têm estudado o uso do vírus como agente oncolítico —capaz de matar células cancerígenas.

Em um artigo publicado em 2019 na revista científica World Journal of Clinical Cases, pesquisadores chineses fazem uma revisão dos estudos feitos com o vírus da DNC contra câncer em modelos animais ou testes clínicos e concluem que o vírus pode ser um excelente candidato para tratamento de tumores.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.