Descrição de chapéu Coronavírus

Governo Doria prorroga fase emergencial até dia 11 de abril em SP

Administração seguiu recomendação de comitê, que chegou à conclusão que saúde entrou em colapso

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O governo João Doria (PSDB) decidiu estender até 11 de abril a fase emergencial do Plano São Paulo.

O anúncio foi feito pelo vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM), quatro horas e meia após Doria ter apresentado a Butanvac, a vacina do Butantan. O tucano, ao contrário do que costuma acontecer, dessa vez não participou da entrevista coletiva em que a impopular medida foi divulgada.

"Em virtude dos números da pandemia, da insistência da pandemia, apesar de todas as medidas adotadas, o governo de São Paulo prorroga até 11 de abril a fase emergencial", disse Garcia.

A fase emergencial, com medidas mais restritivas até para serviços essenciais, iria até o dia 30 de março. Na última semana, o comitê de contingência contra o coronavírus fez a recomendação ao governador de prorrogar as restrições, uma vez que há avaliação no grupo de que o estado entrou em colapso.

Nas últimas semanas, foram registradas dezenas de mortes de pacientes à espera de vagas.

A fase emergencial, na prática, inclui o fechamento de escolas e medidas mais restritivas para comércios —por exemplo, restaurantes não podem vender para que pessoas retirem no local, apenas no modelo delivery. Há também um toque de recolher das 20h às 5h, onde as pessoas podem ser abordadas para orientação em todo o estado (veja detalhes abaixo para todos os setores).

O coordenador do comitê de contingência, Paulo Menezes, afirma que ao longo do período de prorrogação da fase emergencial deve haver uma redução progressiva no número de casos graves, como consequência das medidas e também da vacinação no estado.

"Nós temos aqui já ao longo de várias semanas conversado sobre recomendações que o governo tem implementado no sentido de nesse momento reduzir o máximo possível a redução do vírus. Nós tivemos já nove dias de fase vermelha, seguidos de 12 dias da chamada fase emergencial. A gente começa a ver o resultado, um resultado positivo desse período todo de sacrifício", disse Paulo Menezes, do centro de contingência.

Segundo ele, a velocidade de crescimento chegou a 2,9% ao dia. "A gente começa a ver uma redução na velocidade de crescimento, que desta forma cai para 2,2% de crescimento ao dia", disse.

O secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou que São Paulo ultrapassou a marca de 70 mil mortes, mais exatamente, 70.696. Segundo Gorinchteyn, na quinta, houve acréscimo de 1.193 mortes, um recorde. Porém, ele afirma que o alto número provavelmente tem relação com informações represadas devido a novas exigências que o governo federal fez (e depois retirou) no preenchimento de cadastros.

Gorinchteyn citou desaceleração nas mortes, creditando à fase vermelha. Nas próximas semanas, avalia, virão os resultados das restrições da fase emergencial.

"A despeito de nossa taxa de ocupação ter atingido no estado 91,6% e na Grande SP uma cifra da mesma magnitude, comparativamente, avaliando o número absoluto de pacientes internados nas UTIs, [são] 12.674. No dia anterior tivemos 12.593. Isso, de forma gradual, mostra uma desaceleração", disse.

PLASMA

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, anunciou que haverá uma rede de plasma convalescente, um tipo de tratamento que, por meio de transfusão, pretende gerar anticorpos em doentes de coronavírus. O plasma seria doado por voluntários que tenham contraído o coronavírus.

"Plasma é a parte líquida do sangue. É nesse plasma que se concentram os anticorpos. O objetivo dessa terapia é transferir ao paciente de maneira passiva uma quantitativa de anticorpos para combater o vírus. Portanto, é um tratamento. Essa transfusão de plasma deve ser feita para pessoas que estão nos hospitais, nas fases iniciais do Covid e que tem chances de progredir", diz.

Covas comparou o tratamento com uma "vacina imediata". Por isso, foi montada uma rede de coleta de plasma no estado.

Covas afirma que o projeto-piloto está sendo feito em Santos e Araraquara. Depois, a ideia é estender para os demais municípios.

Segundo o governo, as regras para doar o plasma são as mesmas de se doar sangue: ter boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos, evitar alimentação gordurosa antes da doação e apresentar documento original com foto. "É fundamental que o doador já tenha sido contaminado pela Covid-19 anteriormente, pelo menos 30 dias antes do ato da doação", diz o governo.

O diretor do Butantan diz que as informações sobre o tratamento estarão no site do Butantan, que no início da tarde desta sexta estava fora do ar devido ao excesso de visitantes atraídos pela notícia da vacina nacional desenvolvida pelo instituto.

Questionado sobre a estimativa do governo de uso da vacina que será produzida pelo Butatan, a Butanvac, já em julho, Dimas Covas afirmou que opiniões deveriam ser baseadas no conhecimento do estudo.

"O Butantan certamente está inovando no estudo clínico, que na hora que for aprovada pela Anvisa será divulgado amplamente. Agora a questão da autorização do uso é obrigação da Anvisa. Vamos ver como a Anvisa se comporta daqui um tempo quando ela tiver os dados na mão para emitir o seu parecer", disse Covas.

VEJA COMO FUNCIONAM AS ATIVIDADES

Escritórios em geral e atividades administrativas – Obrigatoriedade de teletrabalho (home office).

Comércio de material de construção – Proibido o funcionamento e atendimento presencial, mas ficam liberados os serviços de retirada por clientes com veículo (drive-thru) e entrega na casa do comprador (delivery).

Estabelecimentos comerciais (comércio em geral) – Somente entrega (delivery) e retirada de automóvel (drive-thru), com proibição de retirada de produtos no local.

Repartições de administração pública – Obrigatoriedade de teletrabalho (home office).

Restaurantes, bares e padarias – Somente entrega (delivery) e retirada de automóvel (drive-thru), com proibição de retirada de produtos no local. Mercearias e padarias podem funcionar seguindo as regras de supermercados, com proibição de consumo no local.

Transporte coletivo – Recomendação de escalonamento de horário para os trabalhadores da indústria, serviços e comércio. Os horários indicados são de entrada das 5h às 7h e saída das 14h às 16h para profissionais da indústria, entrada das 7h às 9h e saída das 16h às 18h para os de serviços; e entrada das 9h às 11h e saída das 18h às 20h para os do comércio.

Educação estadual – Unidades abertas para distribuição de merenda a alunos carentes e entrega de materiais mediante agendamento prévio.

Comércio de produtos eletrônicos – Somente entrega (delivery) e retirada de automóvel (drive-thru), com proibição de retirada de produtos no local.

Serviços de tecnologia da informação – Obrigatoriedade de teletrabalho (home office).

Supermercados – Recomendação de escalonamento de horário para os funcionários utilizarem o transporte público para irem ao trabalho (entrada das 9h às 11h e saída das 18h às 20h).

Hotelaria – Proibição de funcionamento de restaurantes, bares e áreas comuns dos hotéis. Alimentação permitida somente nos quartos.

Esportes – Atividades coletivas profissionais e amadoras suspensas.

Telecomunicações– Teletrabalho (home office) obrigatório para funcionários de empresas de telecomunicação.

Atividades religiosas – Proibição de realização de atividades coletivas como missas e cultos, mas permissão para que templos, igrejas e espaços religiosos fiquem abertos para manifestações individuais de fé.

Fonte: Governo de SP

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.