Pela primeira vez, nova geração é principal ameaça a Nadal em Roland Garros

Com Federer e Murray ausentes e Djokovic em má fase, Zverev e Thiem estão entre os favoritos

O espanhol Rafael Nadal sorri e coloca a mão no boné em dia de exibição em Roland Garros
O espanhol Rafael Nadal em dia de exibição em Roland Garros - Pascal Rossignol/Reuters
Sheila Vieira Daniel E. de Castro
São Paulo

O espanhol Rafael Nadal é mais uma vez o favorito para conquistar o título de Roland Garros, Grand Slam que começa neste domingo (27), em Paris. Seus principais adversários na busca pelo 11º troféu no torneio, no entanto, não serão os “medalhões” dos anos anteriores.

O alemão Alexander Zverev, que ocupa a terceira posição do ranking mundial aos 21 anos, e o austríaco Dominic Thiem, oitavo do mundo aos 24, são os tenistas mais cotados para ameaçar Nadal, prestes a completar 32 anos, no saibro francês.

O espanhol disputou quatro torneios de preparação para Roland Garros e não saiu com o título apenas no Masters 1.000 de Madri, quando perdeu para Thiem nas quartas de final. Em Roma, Nadal derrotou Zverev na decisão por 2 sets a 1 em um jogo duro.

Campeão em Madri e vice em Roma, Zverev será o cabeça de chave 2 de Roland Garros, já que o vice-líder do ranking, o suíço Roger Federer, não disputa torneios no saibro desde o ano passado, para se poupar fisicamente.

Zverev, porém, ainda não impressionou nos Grand Slam. O alemão tem ótimo desempenho em Masters 1.000, com três títulos aos 21 anos, mas jamais passou das oitavas de final nos quatro torneios mais importantes do tênis.

Já Thiem, responsável pelas duas últimas derrotas de Nadal no saibro, alcançou as semifinais de Roland Garros nos dois últimos anos.

O austríaco tem 8 títulos vencidos nessa superfície de um total de 10 na carreira.

Campeão em 2016 de Roland Garros, o sérvio Novak Djokovic disputará a competição como cabeça de chave 21.

O ex-número 1 do mundo lutou nos últimos 12 meses contra uma lesão no cotovelo, passou por cirurgia em fevereiro deste ano e ainda vive altos e baixos. Sua única campanha de destaque na temporada foi uma semifinal em Roma.

 

Mesmo longe de sua melhor fase, Djokovic aparece entre os favoritos nas principais casas de apostas, por conta de seu histórico de 12 títulos de Grand Slam —o quarto maior ganhador da história.

Thiem e Zverev foram sorteados para o mesmo quadrante da chave e podem se enfrentar nas quartas de final. Os dois e Djokovic só terão chances de encontrar Nadal em uma eventual decisão.

Vencedor de Roland Garros em 2015, Stan Wawrinka ainda ensaia um retorno às quadras após passar por uma cirurgia no joelho esquerdo. O suíço de 33 anos disputou apenas três partidas na preparação para o torneio, com uma vitória e duas derrotas.

Ex-líder do ranking e vice-campeão em Paris em 2016, Andy Murray está perto de completar um ano fora das quadras devido a uma lesão no quadril direito.

O escocês foi operado em janeiro e tem retorno previsto para o meio de junho, durante a temporada de grama.

Nadal, que já teve muitos problemas físicos em outros anos, parece pronto para demonstrar novamente seu domínio no saibro neste ano. Das 14 edições que disputou em Roland Garros, o espanhol não saiu campeão em apenas três: 2009 (Federer), 2015 (Wawrinka) e 2016 (Djokovic).

O Brasil terá dois representantes na chave masculina de simples. Rogerinho, que estreia contra Djokovic, e Thomaz Bellucci, que enfrentará o argentino Federico Delbonis na primeira rodada, entraram na chave principal após passarem pela fase classificatória. Bellucci entra em quadra neste domingo, por volta das 11h.


Serena disputa seu primeiro Grand Slam após gravidez

A americana Serena Williams, maior vencedora de Grand Slam da era profissional com 23 títulos, voltará a jogar um torneio desse nível em Paris.

Ela ficou afastada após vencer o Aberto da Austrália de 2017 e teve sua primeira filha em setembro do ano passado. A ex-número um do ranking retornou ao circuito em março e fez quatro partidas oficiais, com duas vitórias e duas derrotas.

Atualmente, a americana é a número 453 do mundo e entrou na chave de Roland Garros por ter direito ao ranking protegido, mecanismo para que atletas que voltam de lesões ou gravidez possam participar de competições.

A chave feminina também terá como destaque a presença de Maria Sharapova em seu melhor momento desde que retornou às quadras após cumprir suspensão por doping, em abril do ano passado. A russa é a 29ª colocada do ranking e teve bom desempenho nos dois últimos torneios de saibro que disputou.

Haverá ainda uma disputa acirrada pela liderança do ranking, já que seis tenistas têm chances de acabar o torneio no topo: a romena Simona Halep, a dinamarquesa Caroline Wozniacki, a espanhola Garbiñe Muguruza, a ucraniana Elina Svitolina, a tcheca Karolina Pliskova e a francesa Caroline Garcia.

ROLAND GARROS
6h, em Paris
Na TV: Bandsports

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.