Descrição de chapéu Copa do Mundo

Desesperado por uma chance, Dybala diz que pode jogar com Messi

Jogador do Juventus é lembrado por declaração polêmica sobre craque do Barcelona

Alex Sabino
Ninji Novgorod e Moscou

Um dos atacantes mais valorizados do futebol europeu, Paulo Dybala, 24, não está marcado por nada que fez em campo pela seleção argentina. É lembrado pela opinião de que é “difícil jogar com Messi.

Ele quis dizer que rende mais na faixa de campo preferida pelo camisa 10 indiscutível e craque da seleção. Dybala precisa se adaptar e isso não é fácil. Mas a frase isolada “é difícil jogar com Messi" o persegue.

Nesta terça (19), em Bronnitsi, onde a Argentina está concentrada durante a Copa do Mundo, ele deixou claro que pode ser difícil, mas quer tentar de novo. Talvez nesta quinta (21), em Ninji Novgorod, quando a equipe faz partida decisiva contra a Croácia depois de empatar na estreia com a Islândia.

“Não há ninguém que possa substituir Messi. Nem na seleção argentina nem em qualquer lugar do mundo. Creio que podemos jogar juntos. Requer trabalho”, disse o meia-atacante da Juventus (ITA).

O próprio Sampaoli afirmou também acreditar que os dois podem estar na mesma equipe, com Dybala mudando de posição em campo. Mas não testou isso nem no amistoso contra o Haiti, antes do Mundial, em La Bombonera.

Diante da Islândia, no último sábado (16), Dybala passou os 90 minutos no banco de reservas. Nem mesmo quando a Argentina pressionava pela vitória e os chutes de fora da área eram uma boa opção, ele foi escolhido para entrar.

“Eu entendi o que Paulo quis dizer. Com a gente, está tudo bem”, afirmou Messi, sem ressentimento com a afirmação isolada de que um companheiro acha difícil jogar com ele.

O treinador pode fazer quatro alterações na escalação para o segundo jogo do torneio, mas Dybala não está entre os contemplados com uma chance. Deverão entrar Gabriel Mercado, Marcos Acuña e Cristian Pavón. Enzo Pérez disputa posição com Maximiliano Meza.

O meia-atacante reserva deseja a oportunidade em qualquer lugar na equipe. Já não tem a pretensão de escolher nada.

“Em algum momento terei a possibilidade de jogar. Cobri várias posições desde que comecei no futebol e sempre me senti cômodo”, explicou.

Para jogar pelo seu país na Copa do Mundo, vale tudo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.