Descrição de chapéu Copa do Mundo

Após começo discreto, Griezmann decide na bola parada e é melhor da final

Dos pés do atacante francês saíram seis dos sete últimos gols da França na Copa

Alex Sabino Fábio Aleixo Luiz Cosenzo Diego Garcia Igor Gielow
Moscou

Eleito o melhor jogador da decisão contra a Croácia, o atacante Antoine Griezmann, 27, foi o principal destaque da seleção francesa na reta final da Copa do Mundo, que culminou com o título conquistado neste domingo (15).

A França faturou o bicampeonato mundial após vencer a Croácia por 4 a 2, no estádio Lujniki, em Moscou.

Griezmann foi decisivo principalmente nos lances de bola parada. Dos seus pés saíram os últimos seis dos sete gols da seleção francesa.

Na final, o camisa sete participou de três. Ele cobrou a falta para a área aos 18 minutos da etapa inicial, o atacante croata Mandzukic tentou desviar e marcou contra.

Vinte minutos depois, o jogador do Atlético de Madri apareceu de novo. Ele bateu escanteio que tocou na mão de Perisic, e o árbitro argentino Nestor Pitana marcou pênalti após consultar o VAR. Griezmann converteu e deixou a França na frente no placar.

No segundo tempo, quando a Croácia buscava o empate, o camisa sete novamente foi decisivo. Ele fez o lançamento para Mbappé, que invadiu a área e cruzou. Griezmann dominou e ajeitou para Pogba, que chutou duas vezes para ampliar o marcador.

O atacante já havia sido decisivo contra o Uruguai, pelas quartas de final. Na oportunidade, colocou a bola na cabeça de Varane, que abriu o placar. O jogador ainda marcou um gol em um chute de fora da área que contou com a colaboração de Muslera.

Na semifinal, ele foi preciso na cobrança do escanteio que resultou no gol de Umtiti.

Griezmann disputou sete jogos e marcou quatro gols —três na fase mata-mata. Desses quatro, três foram em cobranças de pênalti.

O atacante cresceu na fase decisiva, assim como aconteceu na Eurocopa de 2016, quando a França ficou com o vice-campeonato. Na oportunidade, marcou um único gol na primeira fase e fez outros cinco a partir das oitavas de final.

Neste ano, ele já havia sido decisivo na final da Liga Europa, quando o seu clube, o Atlético de Madri, venceu o Olympique de Marselha por 3 a 0. Ele fez dois gols.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.