Após contratar LeBron, Lakers quer coadjuvante de luxo para retomar glória

Fora da final da NBA desde 2010, time de Los Angeles mira em Kawhi Leonard

Sheila Vieira
São Paulo

Uma hora após o anúncio da transferência de LeBron James para o Los Angeles Lakers, em um contrato de quatro anos e US$ 154 milhões (R$ 597 milhões) para o melhor jogador de basquete do mundo, Kobe Bryant, um dos maiores ídolos da história do time, desejou a James "boas-vindas à família" .

A mensagem é clara. Ao se juntar ao Lakers, LeBron não será mais o homem que levará uma franquia de pouca tradição a um título de NBA, com o papel de "dono do time", como fez no Cleveland Cavaliers e no Miami Heat.

Na Califórnia, James vestirá uma camisa que tem 16 títulos na liga, um a menos que o recordista Boston Celtics, e atuará em uma casa que consagrou lendas do basquete, como Magic Johnson, Kareem Abdul Jabbar, Shaquille O'Neal e o próprio Bryant.

Atual presidente de operações do Lakers, Johnson foi no sábado (30) à residência de LeBron em Brentwood, que fica a 550 km de Los Angeles, para costurar o acordo.

A adaptação de LeBron à Califórnia não será difícil. Além de passar as férias perto de Los Angeles, ele também tem uma produtora de entretenimento na cidade.

No entanto, o Lakers perdeu o protagonismo na divisão oeste da liga desde que venceu seu último título, na temporada 2010. A equipe nem sequer chegou à final de conferência nas últimas oito temporadas e viu o Golden State Warriors se tornar a sensação da NBA, com três títulos nos últimos quatro anos.

Em seus três títulos na liga, LeBron sempre contou com coadjuvantes de luxo. No Miami Heat, time em que foi campeão em 2012 e 2013, formou o "Big 3" com Dwayne Wade e Chris Bosh. Já em 2016, o campeonato vencido com o Cavaliers foi conquistado ao lado de Kyrie Irving e Kevin Love.

O nome que o Lakers aposta para ser o braço direito de LeBron é Kawhi Leonard, do San Antonio Spurs.

O jogador já manifestou sua vontade de jogar no time de Los Angeles, porém, como não é agente livre, precisa ser trocado pelo Spurs por outros jogadores ou por uma escolha no draft da liga.

Além dos Lakers, o Boston Celtics e o Philadelphia 76ers também estão conversando com o Spurs sobre Leonard.

A equipe tentou fechar acordo com o ala Paul George, mas o jogador decidiu renovar com o Oklahoma City Thunder por mais quatro anos.

Os Lakers já renovaram para a próxima temporada com Kentavious Caldwell-Pope, que estreou pela equipe no último ano com boas apresentações, e contratou Lance Stephenson, ex-Indiana Pacers; JaVale McGee, que jogou pelo Golden State as últimas duas temporadas; e Rajon Rondo, vindo do New Orleans Pelicans.

Caso os Spurs não queiram ceder Leonard para os Lakers, a equipe californiana também pode continuar fazendo contratos de um ano com jogadores mais baratos, economizar e esperar para obter uma grande estrela em 2019.

Kyrie Irving e até Klay Thompson, filho do ex-jogador do Lakers e comentarista dos jogos do time Mychal Thompson, seriam outras opções se a negociação com os Spurs não se concretizar.

LeBron James foi contratado por quatro anos e terá a opção de deixar a equipe somente após três anos, o que indica que o projeto com ele é de longo prazo.

Os últimos 10 anos de NBA provaram que LeBron James tem a rara habilidade de mudar o patamar de uma franquia. Resta saber se ele poderá reviver os anos de glória de outra, desta vez atuando no lado mais forte da liga.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.