Emocionado, Federer chora em entrevista ao falar de técnico morto em acidente

Peter Carter morreu em 2002 durante sua lua de mel na África do Sul

Federer se emociona ao conquistar o título do Australian Open em 2018
Federer se emociona ao conquistar o título do Australian Open em 2018 - Issei Kato - 28.jan.2018/Reuters
São Paulo | UOL

O tenista suíço Roger Federer não conseguiu segurar a emoção ao relembrar de seu antigo técnico Peter Carter, morto em um acidente de carro em 2002. Durante entrevista à CNN, ele até pediu desculpas pelas lágrimas.

Quando perguntado sobre o que Carter pensaria a respeito de seu recorde de 20 Grand Slams conquistados, Federer desabou.

"Desculpe. Cara, eu ainda sinto muito a falta dele. Espero que ele fique orgulhoso. Nossa, nunca desmoronei assim", disse o tenista às lágrimas.

"Ele não queria que eu fosse um talento desperdiçado. Foi como um alerta para mim quando ele faleceu e eu realmente comecei a treinar duro", prosseguiu o atleta.

O australiano Peter Carter morreu aos 37 anos de idade, quando estava em lua de mel na África. Federer soube do acidente enquanto competia o Canadian Masters, em Toronto.

Na biografia "Roger Federer: Quest for Perfection", o jornalista suíço Rene Stauffer conta que o tenista "nunca ficou tão chateado em sua vida".

Federer conquistou seu primeiro Grand Slam da carreira, o torneio de Wimbledon, um ano após a morte de Carter, em 2003.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.