Descrição de chapéu Campeonato Paulista

Com tri, Carille supera sua história e iguala feito de 95 anos atrás

Técnico acumula um Brasileiro e três estaduais em carreira de menos de três anos

Luciano Trindade
São Paulo

Ao conquistar o tricampeonato paulista pelo Corinthians neste domingo (21), Fábio Carille, 45, repetiu um feito que só havia acontecido uma vez na história do clube, há 95 anos. O tri estadual de Carille veio após a vitória por 2 a 1 sobre o São Paulo em Itaquera.

Em 1924, o time alvinegro conquistou a sua primeira série de três títulos estaduais seguidos, todos sob o comando do mesmo treinador, Guido Giacominelli.

Campeão paulista em 2017 e 2018, Fábio Carille voltou ao Parque São Jorge nesta temporada tendo justamente esse como um de seus objetivos.

"É mais uma responsabilidade", disse o treinador, no fim do ano passado, ao desembarcar em São Paulo para assumir a equipe, após trabalhar no futebol da Arábia Saudita.

Das três conquistas de Carille, a deste ano tem um valor simbólico maior para o técnico. Não só por igualar a marca de Giacominelli, mas também por afastar a sombra do trabalho que ele mesmo fez no clube em sua primeira passagem.

 

Bicampeão paulista e campeão brasileiro, o comandante chegou neste ano com o desafio de corresponder à alta expectativa que o torcedor corintiano depositou nele por seu histórico.

"Não tive receio de voltar e não ter o mesmo sucesso", afirmou à Folha em janeiro. "Eu me preocupei em organizar a equipe, fazer um time com a característica do Corinthians, de bastante entrega, bastante doação, porque eu sei que a consequência disso é brigar por títulos", explicou.

A situação do início da temporada era bem diferente da vivida pelo agora tricampeão quando era um ex-auxiliar e assumiu o time pela primeira vez, em 2017, como uma aposta da diretoria. Além da função que exercia, sua única credencial na época era o fato de ter trabalhado no clube com Tite e Mano Menezes, suas referências na profissão.

 

Carille chegou ao Parque São Jorge há dez anos para trabalhar como auxiliar na equipe liderada por Mano Menezes. O técnico do Corinthians na época tinha Sidnei Lobo como seu braço direito. E foi ele quem indicou o atual treinador do clube para participar naquela comissão técnica, que conquistou a Copa do Brasil e o Paulista em 2009.

"Tenho uma gratidão eterna pelo Mano e pelo Sidnei, que me trouxeram para o Corinthians", afirmou o técnico. 

Emancipado por suas conquistas, Carille já tem seu nome gravado na história corintiana, assim como Guido Giacominelli fez na década de 1920.

Descendente de italianos, Giacominelli foi o oitavo presidente do time do Parque São Jorge e, desde o início de seu mandato, em 1921, exerceu simultaneamente a função de treinador, ainda que de forma amadora, uma vez que a profissionalização do cargo ocorreu somente em 1933.

Em quatro anos, ele dirigiu a equipe em 117 jogos, com 88 vitórias, 11 empates e 18 derrotas, segundo o Almanaque do Timão, editado pelo jornalista Celzo Unzete, historiador do clube.

Dessas partidas, uma das mais importantes foi a vitória sobre o Paulistano, em 1924, que rendeu ao

Corinthians o primeiro tricampeonato estadual de sua história, série que só se repetiu mais duas vezes (1928/1929/1930 e 1937/1938/1939).

Nenhuma das sequências mais recentes, no entanto, foi conquistada sob o comando do mesmo treinador.

Dos três títulos conquistados no primeiro tricampeonato corintiano, o último foi o mais difícil.
O time até começou bem o torneio, com seis vitórias seguidas logo de cara, e teve a primeira derrota só na sétima rodada, no dia 19 de junho, quando perdeu para o Sírio, por 2 a 0.

Depois disso, contudo, o Corinthians e o restante das equipes ficaram dois meses sem jogar, já que o Paulista foi paralisado em razão da situação política que o país vivia.

O ano de 1924 foi marcado pela revolução tenentista, quando os tenentes do Exército se rebelaram contra o governo federal, sendo São Paulo um dos grandes focos da insatisfação. O centro da capital paulista foi fortemente bombardeado até o dia 28 de julho, quando a revolta começou a perder fôlego.

Quando a competição retornou, Giacominelli não conseguiu fazer sua equipe repetir a mesma disparada do início da competição. Nos seis jogos seguintes, só venceu dois, empatou um e perdeu três.
Com a irregularidade corintiana, o Estadual, disputado em formato de pontos corridos na época, chegou à última rodada com o Corinthians empatado com o Paulistano, ambos com 23 pontos.

A rodada derradeira colocaria justamente os dois times frente a frente, no dia 11 de janeiro do ano seguinte, devido à paralisação provocada pela revolução.

O extinto Estádio Jardim América, que recebeu o nome do bairro onde foi construído, na zona oeste da capital, foi o palco da partida. Um empate sem gols se arrastou até os 29 minutos do segundo tempo, quando o meio-campista Tatu fez o único gol daquela tarde, dando o título aos corintianos.

No ano seguinte, o presidente-treinador Guido Giacominelli quase levou o Corinthians ao tetracampeonato estadual. Perdeu a disputa para o São Bento (da Capital) por apenas um ponto. 

Caso permaneça no Parque São Jorge até lá, Carille terá em 2020 a chance de alcançar essa marca. Ele seria o primeiro na história do Campeonato Paulista a obter o feito.

Desde 1933, quando o cargo foi profissionalizado, três técnicos conquistaram três títulos estaduais seguidos, independentemente do clube que defendiam. 

Foram eles Lula (1960, 1961, 1962, pelo Santos), Antoninho (1967, 1968 e 1969, pelo Santos) e Vanderlei Luxemburgo (2006 e 2007, pelo Santos, e 2008, pelo Palmeiras).

Nenhum, porém, conseguiu alcançar o quarto título na sequência.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.