Conselho do patrimônio de São Paulo tomba o estádio do Juventus

Conde Rodolfo Crespi, na Mooca, foi inaugurado em 1925

São Paulo

A Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo publicou nesta quarta-feira (10), no Diário Oficial, o tombamento do estádio Conde Rodolfo Crespi, mais conhecido como Rua Javari e que pertence ao Juventus.

Publicada em novembro de 2017 pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, a resolução do tombamento foi divulgada somente agora, um ano e meio depois.

Estádio Conde Rodolfo Crespi tem capacidade para quatro mil pessoas
Estádio Conde Rodolfo Crespi tem capacidade para quatro mil pessoas - Rogerio Canella/Folhapress

Inaugurado em 1925, o estádio pertencia à família Crespi, dona de uma indústria têxtil localizada no bairro da Mooca, Zona Leste de São Paulo, e foi adquirido pelo clube em 1967.

O edifício onde funcionava a indústria, inclusive, também teve seu tombamento determinado pelo conselho municipal. No local, funciona hoje uma unidade do hipermercado Extra.

O Conde Rodolfo Crespi tem capacidade para quatro mil torcedores, mas não pode sediar jogos à noite pois não possui refletores de iluminação.

Foi no estádio que Pelé diz ter marcado o gol mais bonito dos 1.283 de sua carreira. Não há filmagem do gol, que foi recriado em computação gráfica no filme "Pelé Eterno", lançado em 2004. Segundo testemunhas e o próprio ex-jogador, ele deu três chapéus nos atletas do Juventus, incluindo o goleiro, antes de marcar.

Outros tombamentos foram anunciados nesta quarta: Escola Estadual Pandiá Calógeras, na Mooca; Escola Estadual Brasílio Machado, na Vila Mariana; Escola Municipal de Educação Bilíngue para Surdos Helen Keller, na Sé; Biblioteca Pública Municipal Roberto Santos, no Ipiranga; Biblioteca Pública Municipal Adelpha Figueiredo, na Mooca.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.