Descrição de chapéu Velocidade

GP de Mônaco da F-1 é tomado por homenagens a Niki Lauda

Tricampeão da categoria, austríaco morreu na última segunda (20)

São Paulo

O fato de a morte de Niki Lauda ter coincidido com a semana do GP de Mônaco da F-1 fez com que o fim de semana da prova mais tradicional da categoria fosse tomado por homenagens ao austríaco, tricampeão do Mundial de Pilotos (1975, 1977 e 1984).

A F-1 informou que haverá um minuto de silêncio no grid de largada. Além disso, juntamente com os 20 pilotos, que estarão perfilados para o hino monegasco, estarão presentes também amigos e colegas contemporâneos de Lauda.

Cada um deles irá segurar um boné vermelho, característico do austríaco, em tributo ao tricampeão.

Lauda é até hoje o único a ter vencido campeonatos por Ferrari e McLaren, o que o fez ser celebrado pelas duas escuderias.

A Mercedes, equipe em que Lauda ocupou o cargo de presidente de honra nos últimos anos, também colocou em seu carro uma homenagem ao austríaco, com um agradecimento pelos serviços prestados.

O tributo que mais chamou a atenção até agora foi o do alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, que colocou no desenho do seu capacete fotos de Lauda na época de piloto e o nome do austríaco.

Niki Lauda venceu duas vezes o GP de Mônaco, em 1975 e 1976. Da primeira vez, ele dominou a prova e subiu ao pódio acompanhado dos brasileiros Emerson Fittipaldi e Carlos Pace.

No ano seguinte, após ganhar no principado, Lauda dominava o campeonato até a corrida de Nürburgring, na Alemanha, quando sofreu um acidente e ficou preso nas ferragens da sua Ferrari, que pegou fogo.

Apesar das graves queimaduras, que causaram sequelas principalmente em sua orelha direita —ele ficou sem o capacete após a batida—, e de ter inalado gases tóxicos, o austríaco ainda voltou a pilotar seis semanas depois, com a cabeça enfaixada.

Lauda terminou aquele campeonato na segunda posição, atrás do britânico James Hunt.

O austríaco morreu na última segunda (20), aos 70 anos. Ele, que no ano passado havia passado por um transplante de pulmão, estava internado na Suíça para tratar problemas renais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.