Ex-advogado da mulher que acusa Neymar afirma que ela relatou agressão, não estupro

Carta de escritório de advocacia à acusadora do jogador foi divulgada pelo Jornal Nacional

São Paulo

José Edgard da Cunha Bueno Filho, que afirma ser ex-advogado da mulher que acusa Neymar de estupro, teria enviado carta à antiga cliente dizendo que ela, ao registrar Boletim de Ocorrência, mudou a versão relatada inicialmente. 

Segundo informação divulgada pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, o advogado alega que a história contada por ela no primeiro contato que tiveram foi que o sexo com o jogador havia sido consensual.

" ...a relação mantida com Neymar Júnior foi consensual, mas que durante o ato ele havia se tornado uma pessoa violenta, agredindo-a, sendo esse o fato típico central (agressão) pelo qual ele deveria ser responsabilizado cível e criminalmente", diz o trecho da carta que teria sido enviada pelo advogado à mulher e exibida pela emissora. 

Neymar durante treino da seleção brasileira em Teresópolis no último sábado (1)
Neymar durante treino da seleção brasileira em Teresópolis no último sábado (1) - Mauro Pimentel-1.jun.19/AFP

"Por raiva ou vingança, V. Sa. relatou no BO registrado em 31/05/2019 fatos descritos em desacordo com a realidade manifestada aos seus patronos, ou seja, compareceu à delegacia, relatando que teria sido vítima de estupro, quando, na realidade que nos foi demonstrada e ratificada por várias vezes, V. Sa. teria sido vítima de agressões", completa o texto.

Ele disse à emissora que a teria alertado que a mudança da história poderia configurar denunciação caluniosa.

O texto é assinado pelos sócios do Fernandes e Abreu Advogados: José Edgard da Cunha Bueno Filho, Francis Ted Fernandes e André Castello Branco Colotto.

O Jornal Nacional também mostrou diálogos por WhatsApp entre a mulher e Bueno Filho em que ela estaria irritada com a demora para fazer a denúncia. 

"Por que a gente não joga logo na mídia para acabar a carreira desse pipoqueiro logo de vez? Estou com raiva. Deveria tê-lo matado quando tive chance", teria reclamado.

O advogado teria recomendado a ela ter calma e, que o melhor seria buscar um acordo. 

A Folha tentou contato com a mulher que acusa Neymar, mas não obteve contato até o momento.

Um dos argumentos de defesa de Neymar é ter recebido uma tentativa de extorsão de um advogado para não levar o caso adiante. O pai do jogador não divulgou o nome de quem teria feito o pedido de dinheiro.

Neymar foi acusado de agressão sexual contra uma brasileira em Paris. O boletim de ocorrência foi registrado pela suposta vítima na última sexta-feira (31).

No sábado (1º), o jogador se pronunciou por meio de um vídeo publicado em seu Instagram. Na postagem, o camisa 10 da seleção brasileira se defende da acusação e expõe as conversas com a suposta vítima, exibindo também imagens da mulher nua e seminua –com o rosto e partes íntimas borradas.

A Polícia Civil foi até a Granja Comary no domingo (2) buscar explicações do atleta. O jogador ainda não havia voltado de um período de folga, concedido a todo o elenco, e não foi ouvido pelos policiais. Na entrevista coletiva no centro de treinamento da seleção, Neymar foi defendido pelos colegas.

Na manhã desta segunda-feira (3), o Instagram já havia apagado o vídeo no qual Neymar se defende. Em entrevista à Band, o pai do jogador disse que prefere que seu filho tenha cometido um crime de internet a um crime de estupro.

Na entrevista coletiva, o técnico Tite se disse incapaz de julgar seu comandado.

Também nesta segunda, a Polícia Civil voltou à Granja Comary, desta vez para intimar Neymar a depor sobre a acusação na sexta-feira (7), no Rio de Janeiro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.