Delegacia da mulher fecha para receber depoimento de Neymar

Veja o que a polícia quer esclarecer com o jogador sobre acusação de modelo

São Paulo

O atacante Neymar chegou por volta das 15h20, de muletas e sob forte escolta policial, para prestar depoimento para delegada Juliana Lopes Bussacos na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo. Neymar é acusado pela modelo Najila Trindade de estuprá-la e agredi-la em um hotel em Paris entre os dias 15 e 16 de maio.

Com a presença de Neymar, mulheres que precisavam registrar boletim de ocorrência foram orientadas a ir até ao prédio da 6ª Delegacia Seccional da Polícia, ao lado da DDM, ou retornar em outra data.

Segundo o chefe de investigador Júlio Borba, da DDM, 50 policiais fizeram a segurança interna. O número não leva em consideração o efetivo espalhado nos arredores. A movimentação na rua Padre José de Anchieta começou desde cedo. Viaturas da polícia também estacionaram nas ruas vizinhas para reforçar a escolta ao carro que traria o atleta.

Com auxílio de muletas, Neymar chega à Delegacia da Mulher, em Santo Amaro, para depor
Com auxílio de muletas, Neymar chega à Delegacia da Mulher, em Santo Amaro, para depor - Nacho Doce/Reuters

Uma advogada de Neymar chegou ao prédio da DDM, na zona sul de São Paulo, antes do almoço, com rolos de papel pardos para cobrir todas as janelas do prédio da DDM. O prédio tem três andares, no entanto, Neymar pela condição física, deveria depor no primeiro andar.

Emissoras de televisão alugaram imóveis ao lado da Delegacia, inclusive numa rua paralela, para instalarem equipamentos de filmagem. Às 14h50, helicópteros da Band, Globo e Rocord começaram a sobrevoar a região de Santo Amaro.

Fãs também começaram chegar ao local nas primeiras horas da manhã. O movimento intensificou após o almoço. Mesmo assim, o público esperado por policiais, que temiam a segurança e pediram à CET para interditar parte da rua, não compareceu em peso.

Um grupo se aglomerou na calçada com faixas e frases como "verdade seja dita" e "golpe não". Também cantavam "Deus está contigo Neymar", trechos do Hino Nacional e "Neymar! Neymar!"

Fãs de Neymar se aglomeram na frente da delegacia onde o jogador presta depoimento
Fãs de Neymar se aglomeram na frente da delegacia onde o jogador presta depoimento - Carlos Petrocilo/Folhapress

A imprensa isolada, por cavaletes, não teve acesso ao jogador do PSG.

Na condição de acusado, Neymar deverá ser o último a depor e terá que explicar as versões dadas pela acusadora. Veja os principais pontos que a polícia irá questionar o jogador da seleção.

Sexo foi sem consentimento?
Em seu depoimento no dia 7, a modelo diz que foi estuprada e agredida pelo atacante do PSG e da seleção brasileira. Segundo Najila Trindade, Neymar cometeu os crimes no primeiro dia em que esteve hospedada no hotel. Ela afirma que o jogador chegou ao hotel por volta das 20 horas (do dia 15) aparentemente alterado e, durante troca de carícias, teria desferido tapas em suas nádegas com força.

Najila afirma que, durante as carícias, perguntou se o jogador teria preservativos. Diante da negativa, ela diz que afirmou “então não vai passar disso”. Depois, segundo a modelo, Neymar começou a lhe desferir mais tapas nas nádegas, puxou-a fortemente pelo braço, virando-a de costas, puxou seus cabelos e a penetrou.

A polícia quer ouvir a versão do atacante sobre a primeira noite. A defesa nega que houve estupro d diz que o sexo foi com consentimento. 

Neymar ignorou os pedidos de Najila?
Najila também afirmou em seu depoimento que Neymar, após ter penetrado sem uso do preservativo, continuou ignorando os pedidos da modelo. Ela conta que, contrariada com a falta do preservativo, não conseguiu conter a ação do atacante. Ela afirma que a todo momento pedia para o jogador parar.

A delegada questionará Neymar sobre os apelos relatados pela suposta vítima. Se houve esses pedidos e se o atleta os ignorou.


Foto sem autorização 
Ao se defender, o jogador do PSG postou um vídeo, que em seguida foi deletado pelo Instagram, com prints de conversas e fotos íntimas de Najila Trindade. Por esse ato, o jogador é investigado por crime de internet pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) do Rio de Janeiro.

Neymar já depôs no Rio para essa investigação. Nesta quinta, ele deverá ser questionado especificamente sobre a versão dada pela suposta vítima de que ele fez fotos dela nua sem autorização. 

Segundo a modelo, depois da relação entre os dois, no dia 15, Neymar a empurrou e tirou uma foto do seu corpo corpo nu. Questionado pela modelo, o atacante teria afirmado “relaxa, não tem seu rosto, depois te mando”. Ela afirma que pediu para que o jogador deletasse a imagem. E ele, minutos depois de deixar o hotel, enviou a foto para a modelo.

​​Agressão
A delegada Bussacos também questionará o atleta sobre acusações agressões físicas nos dias 15 e de 16 maio. Najila afirma que provocou um segundo encontro, no dia 16, para filmar o jogador confessando que a agrediu. Seis dias depois do caso, ela fez exames em uma clínica particular onde registra hematomas e arranhaduras na região dos glúteos.

 
O relatório diz que Najila apresenta perda de peso e de sono, além de quadro de ansiedade e agressões físicas na região dos glúteos. Um exame de corpo de delito feito por Najila detectou lesão em um dedo da mão direita da modelo. Apesar de o laudo do IML não apontar lesão em partes íntimas da modelo, os investigadores não descartam a possibilidade de ter havido violência sexual.
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.