Neymar diz que vídeo com fotos íntimas foi publicado por assessores

Membros do estafe do atleta devem ser chamados para depor no Rio de Janeiro

Diego Garcia
Rio de Janeiro

Em depoimento nesta quinta-feira (6), na Cidade da Polícia, zona norte do Rio de Janeiro, o atacante Neymar transferiu a responsabilidade pela publicação de fotos íntimas da modelo Najila Trindade, que o acusa de estupro, para a sua equipe de assessores. O atleta disse que se tratou de um equívoco a divulgação das imagens da mulher.

Em 1 hora e 40 minutos de depoimento ao delegado Carlos Sartori, acompanhado dos advogados Davi Tangerino e Maíra Fernandes, Neymar disponibilizou o celular para a polícia verificar as mensagens trocadas com a mulher e disse não ser o responsável pelo vídeo que foi ao ar no seu Instagram no último sábado (1º).

De acordo com o jogador, dois membros de seu estafe ficaram encarregados de colocar no ar as mensagens trocadas entre ele e Najila. Neymar disse que não sabe como anexar mensagens de Whatsapp em um vídeo do Instagram e que solicitou a exclusão de imagens íntimas, o que não teria ocorrido por erro.

O conteúdo do depoimento, publicado inicialmente pela Rede Globo, foi confirmado pela Folha com pessoas próximas ao jogador.

Neymar deixa a Cidade da Polícia após prestar depoimento
Neymar deixa a Cidade da Polícia após prestar depoimento - Lucas Landau/Reuters

A divulgação dessas imagens motivou a abertura de inquérito na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, que investiga se o atleta cometeu ato criminoso ao postar as fotos e vídeos íntimos sem o consentimento da mulher. A postagem foi uma resposta após o boletim de ocorrência de Najila, que o acusa de estupro, tornar-se público.

A publicação na rede social ficou encarregada de dois assessores, que agora deverão ser chamados para depor pela polícia, em dia e hora ainda desconhecidos. Dois dias depois da publicação do vídeo, o Instagram o retirou do ar por violar normas da rede –a gravação já tinha sido visualizada cerca de 18 milhões de vezes.

Segundo apurou a Folha, a iniciativa de divulgar a conversa entre Neymar e Najila por Whatsapp partiu de Neymar da Silva Santos, pai do jogador. Ele já conhecia a versão do filho e acreditou que, publicando as mensagens nas redes sociais, ganharia apoio popular. O atleta possui 120 milhões de seguidores no Instagram.

Na hora da postagem, a equipe omitiu a sequência da troca de mensagens, divulgada pela TV Record nesta quinta (6) e mostrada pelo jogador ao delegado. Na conversa, aparentemente ocorrida após o suposto estupro, Neymar diz que Najila era parcialmente responsável pelas marcas de tapas nas nádegas da modelo, porque ela “pedia mais”.

Em seguida, ela responde: “Tá doido? Eu pedi para parar e você até pediu desculpas”. 

Advogada de Neymar, Maíra Fernandes foi questionada sobre a conversa nesta quinta e defendeu o jogador. “Meu cliente é inocente. Ele está absolutamente tranquilo. É a tranquilidade dos inocentes”, disse na saída da delegacia. Ela afirmou que não poderia comentar mais porque os autos do processo são sigilosos.

Nesta sexta, a Folha procurou novamente os representantes de Neymar para comentarem o assunto, mas eles não responderam. A Polícia Civil também foi procurada oficialmente, e não respondeu até a publicação desta reportagem. A pena para o crime de divulgação de cenas de nudez sem autorização vai de 1 a 5 anos de prisão.

Além da investigação pelo vídeo, há um inquérito aberto em São Paulo por acusação de estupro. A agressão sexual teria ocorrido em Paris, segundo denúncia da modelo Najila Trindade. O jogador será chamado para depor na capital paulista, em data ainda desconhecida. A mulher foi ouvida na manhã desta sexta.​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.