Rodrygo deixa Vinicius Júnior para trás e vira aposta de Zidane

Paulista de 18 anos ganha espaço no Real Madrid, que joga na Champions

São Paulo

O Real Madrid recebe o Galatasaray, nesta quarta-feira (6), em Madri, em confronto importante para sua tentativa de classificação às oitavas de final da Liga dos Campeões. Não havendo surpresas na escalação no Santiago Bernabéu, ela terá o nome de Rodrygo. Certamente não terá o de Vinicius Júnior, que não foi nem relacionado para o banco de reservas.

Cada um deles custou 45 milhões de euros ao Real, embora as cotações da moeda fossem diferentes nos momentos de suas contratações (R$ 164 milhões na compra de Vinicius, R$ 197 milhões na compra de Rodrygo). 

O duelo brasileiro por espaço no time vem pendendo para um lado nas últimas semanas. Os três jogos mais recentes tiveram Rodrygo, 18, como titular. Ele ganhou justamente a vaga de Vinicius Júnior, 19, e fez o suficiente para ganhar elogios do técnico Zinedine Zidane.

O atacante Rodrygo está em alta com o chefe no Real Madrid - Oscar del Pozo - 30.out.19/AFP

“Ele é jovem, mas tem qualidade e personalidade”, disse o comandante, tomando o cuidado de frear a empolgação. “É um garoto tranquilo, quer trabalhar. Mas ele tem 18 anos, vamos com calma. Como falei, tem qualidade, personalidade, vamos ver o que vai acontecer nas próximas partidas.”

Titular no embate anterior com o Galatasaray, pela Liga dos Campeões, e nos duelos com Leganés e Betis, pelo Campeonato Espanhol, Rodrygo chamou a atenção pela habilidade e marcou um gol. Fez dois em cinco partidas pela equipe principal da equipe espanhola.

Antes de convencer Zidane, o paulista de Osasco foi usado no time B do Real Madrid, dirigido pelo ex-jogador Raúl. Atuou em duas ocasiões sob comando do ex-atacante e logo ganhou dele a chancela para que passasse a jogar com mais frequência na equipe principal.

“Rodrygo tem tudo. Tem explosão, tem gol, tem sacrifício. Nós pedimos coisas às quais ele não está acostumado, e ele se sacrificou muito. Todos os torcedores devem estar contentes”, referendou Raúl, que tem no histórico de jogador 323 gols em 741 partidas com a camisa do Real Madrid.

A capacidade de fazer gols é vista como uma vantagem do atleta em relação a Vinicius Júnior. O fluminense de São Gonçalo vem recebendo críticas pelas dificuldades que apresenta em suas finalizações, algo que voltou a ocorrer no último final de semana.

No empate por 0 a 0 com o Betis, ele substituiu Rodrygo no segundo tempo e teve chances para marcar, mas não evitou o tropeço no Santiago Bernabéu. Analisando um desses lances, a emissora espanhola Movistar+ exibiu o adversário Joaquín, que fazia seu aquecimento à beira do gramado, e apontou, por leitura labial, seu suposto comentário: “É muito ruim”.

O atacante Vinicius Júnior falha na cara do goleiro Joel Robles, do Betis - Oscar del Pozo - 2.nov.19/AFP

No jogo anterior, contra o Leganés, Vinicius Júnior não foi convocado nem para o banco de reservas, algo que se repetiu agora. O jovem está claramente longe de seu momento de maior prestígio no clube de Madri desde que chegou, no meio do ano passado –hoje, totaliza cinco gols em 41 participações.

“Não aconteceu nada com Vinicius”, minimizou Zidane. “É um jogador como os demais e não foi relacionado, mas não significa nada. Ele deve continuar trabalhando, e eu continuarei contando com ele. É algo complicado ficar fora, mas acontece com todos.”

De acordo com o treinador, o espaço do atacante diminuiu mais por causa da chegada de Eden Hazard do que pela ascensão de Rodrygo. O comandante vê Vinicius mais à vontade na ponta esquerda, e é essa a posição ocupada pelo belga de 28 anos, principal contratação da equipe para 2019/20.

Na temporada passada, Júnior chegou a animar os torcedores com sua velocidade e era o titular na partida decisiva contra o Ajax, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. Ele se machucou, saiu aos 35 minutos do primeiro tempo, viu seu time ser eliminado com uma derrota em casa por 4 a 1 e não conseguiu recuperar o prestígio.

A ruptura de ligamentos do tornozelo direito freou seu momento e o fez ficar fora daquela que seria sua primeira participação com a camisa da seleção brasileira. Agora, está atrás do recém-chegado Rodrygo no clube e no time nacional, já que o companheiro foi convocado por Tite para os amistosos deste mês, contra Argentina e Coreia do Sul.

“A competição não é só com o Vinicius”, minimizou Rodrygo. “O Vini e eu somos companheiros, somos amigos e nem falamos disso. Ele me ajudou bastante, porque chegou um ano antes. Esse negócio de comparação já existia no Brasil, mas continuamos com nossa amizade, vai ser sempre assim. Apoiamos um ao outro.”

Os jornais espanhóis, no entanto, não resistem à comparação. O Marca, por exemplo, apontou que Rodrygo “deixou para trás” a concorrência do compatriota. O diário exaltou a entrega do novo titular, que correu 11,6 quilômetros na vitória por 5 a 0 sobre o Leganés.

O clube espanhol diz acreditar muito no futuro dos dois jovens brasileiros, mas, no presente e provavelmente no duelo com o Galatasaray, há fé maior no ex-santista.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.