Em corrida por recorde, Djokovic constrói novo período dominante

No Australian Open, sérvio conquistou seu quinto dos últimos sete Grand Slams

São Paulo

Campeão do Australian Open, o tenista sérvio Novak Djokovic, 32, diminuiu a distância para seus concorrentes no chamado "Big Three", Roger Federer e Rafael Nadal, em títulos de Grand Slam.

Com a conquista na Austrália, Djokovic levantou o seu 17º troféu desse porte. O espanhol tem 19 e o suíço, que não vence um Grand Slam desde o Australian Open de 2018, tem 20.

Novak Djokovic, com o troféu de campeão ao lado, sorri após a conquista do Australian Open
Novak Djokovic, com o troféu de campeão ao lado, sorri após a conquista do Australian Open - John Donegan/AFP

Na corrida contra seus principais competidores, o sérvio também tem mostrado que suas vitórias têm sido mais constantes. Nas últimas 10 temporadas, em apenas 1 (2017) ele não se sagrou campeão.

Rafael Nadal, 33, ficou sem títulos nas temporadas de 2015 e 2016. Roger Federer, 38, passou em branco em 2019, 2016, 2015, 2014 e 2013, além de 2011.

Em sua demonstração de constância, Djokovic constrói um novo período dominante na história do tênis. Com cinco títulos dos últimos sete Grand Slams disputados (dois no Australian Open, dois em Wimbledon e um no US Open), seu desempenho recente remete à sequência que ele próprio estabeleceu entre 2014 e 2016, com seis troféus de oito disputados.

Em 2015, por exemplo, ele só não foi campeão de Roland Garros, que ficou com o suíço Stan Wawrinka.

"Quando comecei a vencer um par de Grand Slams por ano, e em sequência, foi ali que senti que poderia talvez desafiar Roger [Federer] e Pete Sampras, todos esses caras que estavam ganhando mais Grand Slams na história do tênis", disse Djokovic, após a conquista do Australian Open neste domingo (2).

“Eu acho que para ter uma chance de alcançar o histórico número um [em títulos de Grand Slam] vou tentar fazer todo o possível nesta e na próxima temporada", projetou.

Esses dois períodos do tenista sérvio são mais recentes que as últimas sequências dominantes de Federer e Nadal.

O suíço faturou 8 de 10 títulos desse porte entre 2005 e 2007. Já o espanhol, nos anos de 2010 e 2011, conquistou 4 de 5 Grands Slams.

Novak Djokovic poderá igualar o suíço em Grand Slams ainda em 2020. Para isso, porém, terá de atingir um ano perfeito nos quatro maiores torneios do tênis, um feito improvável. O último homem a consegui-lo foi o australiano Rod Laver, que dá nome à quadra principal do Australian Open, em 1969.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.