Descrição de chapéu Velocidade

Hamilton vence segunda no ano com sobras e assume liderança na F-1

Na Hungria, britânico liderou de ponta a ponta, e adversários sofreram com pneus

São Paulo

Pneus, ameaça de chuva e mais protestos. Mesmo antes da largada, o Grande Prêmio da Hungria de F-1, disputado neste domingo (19), já anunciava pelo que ficaria marcado.

E quem se saiu melhor foi Lewis Hamilton (Mercedes), que antes da prova novamente se ajoelhou, em manifestação antirracista. O hexacampeão largou bem, não deixou as condições meteorológicas atrapalharem e liderou de ponta a ponta para vencer a disputa e assumir a liderança do Mundial de pilotos, com 63 pontos.

Hamilton terminou a corrida à frente do holandês Max Verstappen (Red Bull), em segundo, e de seu companheiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas, que com a terceira posição caiu para a vice-liderança na classificação geral da temporada (58 pontos). Verstappen soma 33.

Pela terceira vez em três corridas disputadas em fins de semana consecutivos desde o retorno da F-1, após o adiamento causado pela pandemia do coronavírus, houve protestos. Pilotos usaram camisetas com a frase “fim ao racismo”.

Dessa vez, porém, o ato ocorreu de maneira tímida e apressada, segundo Hamilton, que disse ter saído correndo para conseguir se ajoelhar a tempo. Ele reclamou da falta de empenho dos colegas nas manifestações, especialmente de Romain Grosjean, presidente da associação dos pilotos. "Ele é um daqueles que acham que foi feito uma vez e era isso o necessário."

Antes de a corrida começar, não chovia, mas a pista levemente molhada fez Verstappen bater o carro na volta de aquecimento. O acidente ligou o sinal de alerta, e os dois pilotos da Haas (Kevin Magnussen e Romain Grosjean) decidiram perder posições no grid de largada para adiantar a troca de pneus.

Já na sexta volta, todos os carros haviam passado pelos boxes para fazer a troca, inclusive o de Hamilton, que conseguiu abrir 8 segundos de vantagem para o segundo colocado logo no início e não teve sua liderança ameaçada em nenhum momento.

No fim da corrida, ele ainda aproveitou a larga vantagem para trocar os pneus novamente e fazer a volta mais rápida, ganhando um ponto extra para a classificação geral da temporada.

Bottas, que antes da corrida liderava o campeonato, não fez valer a segunda posição no treino classificatório e largou mal, ficando para trás.

Graças a um rápido e eficiente trabalho da equipe, Verstappen, mesmo perdendo posições por conta do acidente, conseguiu consertar seu carro e terminou em segundo. No fim da corrida, o holandês precisou se defender das investidas de Bottas e teve sucesso.

Na 35ª volta, a metade da disputa, a câmera da transmissão mostrou os primeiros pingos de chuva, enquanto Hamilton, em um áudio recuperado, avisava a sua equipe que a viseira do capacete estava molhada.

No fim das contas, foi um “chove, mas não molha”. A pouca água que caiu não atrapalhou o desempenho das equipes que mantiveram a sua estratégia.

Melhor para o britânico, que começou o final de semana conquistando a sua 90ª pole position, um recorde. O seis vezes campeão mundial pôde até poupar seu castigado pneu dianteiro esquerdo, a pedido da equipe, para evitar qualquer problema.

Com sua oitava conquista no circuito de Hungaroring, Hamilton igualou o recorde de Michael Schumacher em triunfos numa mesma pista —os oito do alemão foram em Magny Cours, na França. Ele está a cinco vitórias de alcançar o total obtido pelo alemão na categoria: 91.

Agora, a F-1 faz sua primeira pausa na temporada 2020 e volta em duas semanas, para uma sequência de duas provas no autódromo de Silverstone, na Inglaterra.

Hamilton comemora a vitória em Budapeste, na Hungria
Hamilton comemora a vitória em Budapeste, na Hungria - Joe Klamar/AFP

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.