Jogadores do Corinthians são ameaçados por torcedores em aeroporto

Atletas foram xingados e precisaram correr para entrar no ônibus após desembarque

São Paulo | UOL

Foi bastante tenso o retorno da delegação do Corinthians para a cidade de São Paulo, na noite deste domingo (13), após enfrentar o Fluminense no Maracanã.

Jogadores foram xingados e empurrados por um grupo de torcedores que esperava o desembarque no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Mais cedo, a equipe perdeu por 2 a 1.

O grupo de torcedores iniciou o tumulto quando os jogadores apareceram na área externa do aeroporto. O primeiro alvo foi o volante Ederson, que mesmo protegido por seguranças foi xingado e empurrado. Em seguida, os atletas tiveram que correr até o ônibus do Corinthians, que estava estacionado a algumas dezenas de metros.

A confusão aumentou perto da porta do ônibus, onde os agressores se aglomeraram. Ao entrar no veículo, Ángelo Araos tomou um empurrão. Minutos depois, seguranças tiveram que abraçar o goleiro Cássio para afastá-lo de quem o seguia, e na sequência um dos homens mais exaltados encarou o lateral Michel Macedo gritando e com dedo em riste.

Em nota divulgada nesta segunda, o Corinthians disse que "lamenta profundamente as cenas ocorridas" e não acredita "em intimidação e ameaças como forma de obter resultados positivos".

"O momento pede tranquilidade, trabalho e responsabilidade conjunta. Temos plena confiança no grupo de jogadores que formamos. Conhecemos o caráter e o profissionalismo desses atletas, das conquistas de que muitos fizeram parte às situações mais difíceis deste ano", afirmou.

Dentro de campo, o time vive má fase, agravada pela derrota para o Fluminense. Tem nove pontos no Campeonato Brasileiro e está fora da zona de rebaixamento pelos critérios de desempate. A equipe volta a campo às 21h30 desta quarta-feira (16), para enfrentar o Bahia, na Neo Química Arena.

Jogadores do Corinthians antes da derrota para o Fluminense neste domingo
Jogadores do Corinthians antes da derrota para o Fluminense neste domingo - Sergio Moraes/Reuters

No fim de semana anterior, dezenas de pessoas invadiram o estádio Orlando Scarpelli durante um treino do Figueirense. Houve várias tentativas de agressão aos jogadores, e o grupo de agressores se dispersou antes da chegada da polícia.

Na semana passada, atletas de vários clubes —incluindo os jogadores corintianos— protestaram no primeiro minuto dos jogos da nona rodada do Brasileiro, cruzando os braços em repúdio ao ocorrido em Santa Catarina.

Não é a primeira vez que jogadores do Corinthians são atacados por membros da própria torcida. Em um episódio de 2014, cerca de 100 pessoas invadiram o centro de treinamento do clube, fizeram exigências e só saíram depois de conversar com o então técnico corintiano, Mano Menezes. Na ocasião, alguns jogadores tiveram que se esconder na sala de máquinas da piscina do CT.

Veja a nota divulgada pelo Corinthians

O Sport Club Corinthians Paulista lamenta profundamente as cenas ocorridas no último domingo, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, e ressalta que sempre zelará pela integridade física de atletas e funcionários.

Este é um ano em que a torcida do Corinthians faz enorme falta. Não ter a Fiel nos empurrando nas arquibancadas da Neo Química Arena e do Brasil, jogo após jogo, é parte de um vazio com o qual precisamos nos acostumar urgentemente.

Quem já teve essa torcida do lado sempre sentirá essa ausência. Mas não acreditamos em intimidação e ameaças como forma de obter resultados esportivos.

O momento pede tranquilidade, trabalho e responsabilidade conjunta. Temos plena confiança no grupo de jogadores que formamos. Conhecemos o caráter e o profissionalismo desses atletas, das conquistas de que muitos fizeram parte às situações mais difíceis deste ano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.