Descrição de chapéu Tóquio 2020

Atual campeão mundial dos 100 m é suspenso por doping

Suspensão de dois anos poderá tirar Christian Coleman, atleta dos EUA, da Olimpíada de 2021

AFP

O velocista norte-americano Christian Coleman, atual campeão mundial nos 100 m, foi punido com uma suspensão de dois anos por não cumprir suas obrigações de rastreamento do protocolo antidoping, anunciou a Unidade de Integridade do Atletismo (AIU) nesta terça-feira (27).

Com isso, Coleman, 24, atualmente vê a porta fechada para participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio, de 23 de julho a 8 de agosto de 2021, adiados em um ano devido à pandemia de coronavírus. O atleta tem 30 dias para recorrer.

Christian Coleman é o atual campeão mundial dos 100 m e detentor do recorde nos 60 m indoor
Christian Coleman é o atual campeão mundial dos 100 m e detentor do recorde nos 60 m indoor - Hannah Mckay - 5.out.2019/Reuters

O velocista norte-americano estava provisoriamente suspenso desde 14 de maio por descumprir em três ocasiões (16 de janeiro, 26 de abril e 9 de dezembro de 2019) a obrigação de ser rastreável para realizar os controles antidoping.

Sua suspensão, caso seja mantida, terminará em 13 de maio de 2022.

Os atletas de alto nível devem comunicar escrupulosamente sua localização e notificar a cada dia um horário e um local para que possam ser submetidos a controles antidoping de surpresa.

De acordo com os regulamentos da Wada (Agência Mundial Antidopagem), qualquer combinação de três violações dessas regras, seja por reprovação em um teste ou por não ter apresentado documentos dentro do prazo ou informações incompletas, em um período de 12 meses, é considerado delito de doping que pode ser punido com suspensão de até dois anos.

O anúncio da suspensão de Coleman ocorre apenas uma semana depois que a AIU absolveu a barenita Salwa Eid Naser, atual campeã mundial dos 400 m, suspensa provisoriamente desde junho pelo mesmo motivo.

Coleman é o rei do sprint mundial desde a aposentadoria da lenda jamaicana Usain Bolt, em 2017.

Campeão mundial nos 100 m com o tempo de 9,76 segundos e também vencedor do revezamento 4 x 100 m em Doha, em outubro de 2019, Coleman tem ainda duas pratas mundiais nessas mesmas provas do Mundial de 2017, além de deter o recorde mundial de 60 m indoor (6,34 segundos).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.