Kenin e Swiatek fazem final da nova geração em Roland Garros

Americana vencedora do Australian Open enfrenta sensação polonesa na decisão em Paris

Paris | AFP

Duas tenistas da nova geração vão disputar a final de Roland Garros neste sábado, às 10h (de Brasília), com transmissão do SporTV 3 do BandSports.

A americana Sofia Kenin (sexta colocada do ranking mundial), de 21 anos e atual vencedora do Australian Open, será a mais experiente no duelo com a embalada polonesa de 19 anos Iga Swiatek (54º).

"Estar na final de um Grand Slam duas vezes no mesmo ano é incrível. Vou usar isso como uma ferramenta. Já estive nessa situação e superei. Conheço as emoções da primeira vez e espero que ela esteja tensa e nervosa", disse Kenin, que bateu Garbiñe Muguruza em 1º de fevereiro para faturar seu primeiro título nesse nível.

Era um mundo pré-pandemia para a maioria das pessoas, no tórrido verão australiano e com uma multidão de espectadores.

Mais de oito meses depois, Roland Garros, transferido da primavera para o outono em Paris, está sendo realizado com pouco público (até 1.000 espectadores por dia) e sob frio, chuva e vento.

Assim como no US Open, disputado sem público e que terminou duas semanas antes de Roland Garros, a número 1 do mundo Ashleigh Barty decidiu ficar na Austrália e não viajar devido à pandemia.

O favoritismo foi herdado por Simona Halep, eliminada nas oitavas de final por Swiatek em pouco mais de uma hora com um retumbante 6/1 e 6/2.

Outras candidatas também ficaram no caminho, como Serena Williams, que desistiu devido a uma lesão após a primeira rodada, e Muguruza, eliminada na terceira.

Iga Swiatek comemora ponto na vitória sobre Halep
Iga Swiatek comemora ponto na vitória sobre Halep - Martin Bureau - 4.out.20/AFP

A sensação polonesa, que caiu nas semifinais de duplas nesta sexta-feira, chega à final sem perder um único set, com apenas 23 games cedidos em seis partidas.

"Ela jogou um tênis fantástico, com resultados muito bons. Mas Petra [Kvitova, sua rival nas semifinais] também não havia perdido um set até agora. Não significa nada se você não jogar bem. Ela está muito confiante e terá entusiasmo para a final", afirmou Kenin.

Swiatek reconheceu o tamanho do seu feito. "É um pouco surreal para mim. Eu sabia que poderia jogar tênis de grande qualidade, mas nunca teria pensado que poderia chegar aqui."

A polonesa propõe um tênis ofensivo de potência e movimentação, atualmente com um elevado nível de confiança, que lhe permite cometer poucos erros pelos riscos que assume. Na quinta-feira, ela superou com facilidade a surpresa argentina Nadia Podoroska.

A jornada de Kenin no saibro parisiense tem sido menos confortável. Ela perdeu sets em quatro das seis partidas disputadas até aqui.

Não será a primeira vez que Kenin e Swiatek se encontram em Paris. Em 2016, elas disputaram a terceira rodada do torneio de juniores, com vitória da polonesa.

Neste sábado, terão seu primeiro duelo na categoria profissional com nada menos do que o troféu Roland Garros como recompensa.

Bruno Soares busca título inédito

O tenista brasileiro Bruno Soares, 38, buscará também neste sábado, com o croata Mate Pavic, 27, um inédito título de Roland Garros na carreira.

A primeira decisão do mineiro no torneio (após duas derrotas em semifinais anteriormente) será disputada após a final feminina de simples, contra os alemães Kevin Krawietz, 28, e Andreas Mies, 30, atuais campeões.

Soares e Pavic, que iniciaram parceria em junho de 2019, têm a chance de conquistarem seu segundo título de um torneio do Grand Slam juntos e também de forma consecutiva, após vencerem o US Open há menos de um mês.

O troféu em Nova York foi o terceiro do brasileiro em duplas masculinas nos Slams e o primeiro desde 2016 (são dois US Open e um Australian Open na carreira). Ele soma outros três em duplas mistas nos quatro principais eventos do tênis.

O último triunfo nacional no Slam de Paris, onde Gustavo Kuerten fez história com seu tricampeonato em simples, foi obtido pelo duplista Marcelo Melo em 2015, ao lado do croata Ivan Dodig.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.