Descrição de chapéu Campeonato Paulista 2021

Em pior fase com Mancini, Corinthians empata na estreia do Paulista

Diante do Red Bull Bragantino, time alvinegro completa sexto jogo seguido sem vencer

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O Corinthians chegou neste domingo (28) ao sexto jogo seguido sem vencer e ao quarto consecutivo sem marcar nem sequer um gol. Em sua estreia no Campeonato Paulista, o time não passou de um empate por 0 a 0 com o Red Bull Bragantino, fora de casa.

Considerando a reta final do Campeonato Brasileiro de 2020, encerrado na última quinta (25), o time comandado por Vagner Mancini acumula quatro empates e duas derrotas desde o dia 3 de fevereiro, quando ganhou pela última vez, do Ceará, por 2 a 1.

Essa é a pior sequência da equipe corintiana com Mancini desde a chegada do treinador, que estreou em 28 de outubro do ano passado.

Mateus Vital (à dir.) conduz a bola durante partida entre Corinthians e Red Bull Bragantino
Mateus Vital (à dir.) conduz a bola durante partida entre Corinthians e Red Bull Bragantino - Ag. Corinthians

Pressionado por esse jejum, o Corinthians terá como próximo compromisso o clássico contra o Palmeiras, na quarta-feira (3), às 19h, na Neo Química Arena, pela segunda rodada do Estadual.

Ao iniciar uma nova temporada apenas três dias após o término do Nacional, houve pouco tempo para Mancini promover mudanças significativas na maneira de jogar do Corinthians, que encerrou o Brasileiro apenas na 12ª posição.

O técnico ainda teve uma série de desfalques, dez ao todo, entre eles peças importantes, como o lateral direito Fagner, o lateral esquerdo Fábio Santos, o meia Otero e o atacante Jô.

Em meio às baixas, Mancini promoveu a estreia do jovem Rodrigo Varanda, 18, promovido das categorias de base e que começou a partida deste domingo. O atacante demonstrou segurança, teve uma boa chance de marcar, mas só a presença dele não foi suficiente para dar mais velocidade ao ataque alvinegro.

Quem ditou o ritmo da partida foi o Bragantino, sobretudo com as jogadas de velocidade com Claudinho, recém-eleito craque e revelação do último Nacional, Vitinho e Artur. Enquanto o trio obrigou Cássio a fazer pelo menos três boas defesas, o goleiro Cleiton pouco trabalhou.

A falta de chegadas ofensivas do time corintiano era reflexo da baixa produtividade dos homens do meio de campo. Mateus Vital e Ramiro abusaram da individualidade, ao passo que Cantillo forçava bolas longas, nas costas da defesa do time de Bragança.

Mancini esperou até os 24 do segundo tempo para tentar mudar sua equipe. De uma só vez, ele substituiu três atletas. Rodrigo Varanda, Vital e Léo Natel saíram para Gabriel Mosquito, Gustavo Pereira e Cauê entrarem em campo. Àquela altura, o Corinthians não havia finalizado nenhuma vez no segundo tempo.

A equipe apresentou uma pequena melhora com as alterações, mas quem quase abriu o placar foi o Bragantino. Aos 43, Léo Ortiz marcou de cabeça após cobrança de falta, mas o árbitro anulou o gol por impedimento após análise do assistente de vídeo.

A sequência do lance foi marcada por confusão entre atletas das duas equipes, que não conseguiram superar o cansaço das temporadas emendadas.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.