Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/11/2007 - 12h07

Lula determina a petistas fim da discussão sobre 3º mandato

Publicidade

RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu nesta terça-feira com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), o presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), e o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP) para cobrar o fim do debate sobre a possibilidade de um terceiro mandato presidencial.

Segundo reportagem publicada pela Folha, Chinaglia mandou desarquivar em abril deste ano a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) --de autoria do ex-deputado Inaldo Leitão (PR-PB)-- que permite a reeleição sem limites para cargos majoritários. O pedido, feito em fevereiro, partiu do deputado petista Fernando Ferro (PE). Hoje, ela é articulada pelos deputados Devanir Ribeiro e Carlos Willian (PTC-MG).

Ontem, o presidente condenou a discussão, chamando-a de "insensatez pura", que provocaria "sarna" para se coçar. Paralelamente, integrantes do governo e da cúpula do PT criticaram o debate.

Nesta terça-feira, Lula determinou o encerramento das discussões. "É importante colocar um ponto final numa pauta que é absolutamente artificial", disse Berzoini após o encontro com o presidente, no Palácio do Planalto. "Não há por parte do PT nenhuma movimentação nesse sentido", reiterou.

Já Devanir Ribeiro afirmou que "em momento algum" falou em "terceiro turno". Ele disse que sua posição é em defesa da realização de plebiscitos para verificar a opinião da sociedade sobre várias temas, mas negou que o assunto terceiro mandato estivesse em pauta.

Berzoini sinalizou que a discussão beneficiaria a oposição e não o governo. "Tem gente que gosta de colocar esse tema na pauta como uma possibilidade de criar uma dúvida na população e na opinião pública."

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

Comentários dos leitores
petra fan (32) 02/02/2010 21h26
petra fan (32) 02/02/2010 21h26
o sindicato que está no poder passou 20 anos jurando que queria governar para mudar "tudo isso que está aí".
hoje, tem uma escumalha a compor sua base de governo, institutos de pesquisa amigos que lhe conseguem amostras sortudas, e uma tropa de tonton macoutes a demonstrar sua verve "democrática" na internet.
é impressionante.
sem opinião
avalie fechar
Claudio Rocha (434) 02/02/2010 20h00
Claudio Rocha (434) 02/02/2010 20h00
Quando governo é atuante os desastres provocados pela natureza são diminuidas. O que ocorre em SP com as enchentes é igual ao que ocorreu no governo Bush em New Orleans, USA, com o KATRINA. onde o governo, todos sabiam a quem defendia e a quem representava. O que permitiu que um fenomeno da natureza devastasse a cidade, mostrando o sofrimento e a miseria que os poderosos tanto se empenham em esconder....São Paulo uma cidade triste, população se sente abandonada por aqueles no qual confiou seu voto.... Esse deveria ser o lema do PSDB: Brasil um Pais para poucos 5 opiniões
avalie fechar
Você sabia que no Paraguai (que não tem nenhum poço de petróleo) a gasolina custa R$ 1,45 o litro e sem adição de álcool . Na Argentina, Chile e Uruguai que juntos (somados os 3) produzem menos de 1/5 da produção brasileira, o preço da gasolina gira em torno de R$ 1,70 o litro e sem adição de álcool. Você sabia, que já desde o ano de 2007 e conforme anunciado aos "quatro ventos" pelo LULA e sua Ministra DILMA... o Brasil já é AUTO-SUFICIENTE em petróleo e possui a TERCEIRA maior reserva de petróleo do MUNDO.
Realmente, só tem uma explicação para pagarmos R$ 2,67 o litro: a GANÂNCIA do Governo com seus impostos e a busca desenfreada dos lucros exorbitantes da nossa querida e estimada estatal brasileira que refina o petróleo por ela mesma explorado nas "terras tupiniquins", então o "velho PT", lembram-se deles, quando oposição???Vão ao MP,contra o Serra devido as enchentes........e dá para entender???
8 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (19708)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página