Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/10/2005 - 17h14

Skymaster nega acusação de prejuízo aos Correios

Publicidade

da Folha Online

Em nota à imprensa, a empresa de transporte aéreo de carga Skymaster negou acusações de superfaturamento e manipulação dos contratos, práticas que teriam gerado prejuízo de milhões de reais à estatal Correios.

"Negamos terminantemente as acusações de superfaturamento, assim como repudiamos as acusações de manipulação dos contratos, de concorrência desleal ou, ainda, de qualquer tipo de apadrinhamento político", afirmam os diretores da empresa, por meio da nota.

Um relatório parcial da CPI dos Correios apresentado nesta terça-feira mostrou que as empresas de transporte aéreo de correspondência Beta e Skymaster geraram um prejuízo de R$ 64 milhões para os Correios desde 2000.

As empresas assinaram em 21 de julho de 2000 um documento para dividirem os contratos da estatal. Quem vencesse a licitação contrataria a empresa parceira para partilharem os serviços e os lucros. "Houve um evidente conluio entre as duas empresas", afirmou o relator da CPI, Osmar Serraglio. (PMDB-PR).

Segue abaixo a íntegra da nota:

"A Skymaster Airlines, uma das maiores empresas do setor de carga aérea do país, antecipadamente ciente que será atingida de maneira injusta pelas conclusões que serão relatadas pelo deputado federal e membro relator da CPMI dos Correios Osmar Serraglio (PMDB-PR), já adiantadas inclusive em declarações à imprensa, vem a público mais uma vez para reafirmar que foram e estão sendo cometidos enganos lamentáveis nas investigações.

Ao comparecer à CPMI mais de uma vez, presentes todos os dirigentes, colocando à disposição planilhas, custos, detalhes operacionais e explicações técnicas, a Skymaster teve ainda seus sigilos telefônicos, bancários e fiscais quebrados.

O que pareceu em vão, uma vez que ilações e acusações infundadas, supostas premissas, baseadas em parâmetros, comparações e alegações que divergem do objeto dos editais de contratos que deveriam estar sendo analisados continuaram a ser feitas.

Está claro o firme propósito de incriminar a Skymaster como se fosse ela a única fornecedora da ECT, "esquecendo" outras concorrentes, ou como se apenas a Skymaster fosse a única responsável pela ampla malha de serviços da Rede Postal Noturna em todo o território nacional.

Negamos terminantemente as acusações de superfaturamento, assim como repudiamos as acusações de manipulação dos contratos, de concorrência desleal ou, ainda, de qualquer tipo de apadrinhamento político. Contestamos firmemente o relatório emitido pela Controladoria Geral da União, CGU, que contém erros torpes; contestamos todas as análises apressadas e tendenciosas - seja de onde vierem - que vêm sendo divulgadas por membros da CPMI.

A Skymaster sempre cobrou dos Correios preços de mercado ou até mesmo abaixo do mercado. Suas vitórias em concorrências públicas sempre foram obtidas pela combinação de melhores serviços, frota mais adequada e menor preço, dentro dos padrões legais; e os serviços contratados sempre foram e são executados com apurado rigor e qualidade, o que lhe vale amplo reconhecimento do setor, mesmo entre seus próprios concorrentes.

Finalmente, a Skymaster denuncia mais essa manobra envolvendo o nome de uma empresa séria, 100% nacional, como forma clara e tentativa óbvia de desviar a atenção dos desmandos políticos que deveriam estar sendo investigados e, consequentemente, punidos.

A Skymaster ressalta que, desde 2003, ao contrário do que estas informações manipuladas por interesses políticos e empresariais tentam disseminar, foi quem primeiro denunciou a existência de esquemas de favorecimento existentes na estatal, levando o fato inclusive ao então Ministro Miro Teixeira, e a outros órgãos competentes, como o Ministério Público Federal. Tudo devidamente documentado.

Temos a convicção que a verdade dos fatos aparecerá no foro
devido".

Leia mais
  • CPI dos Correios terá acesso a dados do Opportunitty
  • Beta e Skymaster geraram prejuízo de R$ 64 mi para Correios, diz CPI
  • CPI dos Correios aprova quebra de sigilo de 11 corretoras

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre a CPI dos Correios
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página