Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/03/2006 - 16h56

PSDB confirma Alckmin como candidato e elogia desprendimento de Serra

Publicidade

CATIA SEABRA
da Folha de S.Paulo
EPAMINONDAS NETO
TATHIANA BARBAR
da Folha Online

Após três meses de impasse, o PSDB anunciou nesta terça-feira o nome do governador Geraldo Alckmin (SP) como candidato do partido na disputa pela Presidência da República nas eleições de outubro. Alckmin disputava a indicação da legenda com José Serra (SP).

O anúncio foi feito pelo presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), na sede do partido, após uma série de reuniões com integrantes da legenda.

"Quero enaltecer o desprendimento desse magnífico homem que é José Serra, que para evitar disputa interna e entendendo que o melhor para o país é seu partido chegar à Presidência e que não é possível mais ficar entregue ao PT, entendendo isso, para preservar a integridade do partido, ele deu um enorme gesto de amor ao país", disse Tasso ao oficializar a candidatura do PSDB. "Nosso candidato é Geraldo Alckmin."

O triunvirato tucano --formado por Tasso, pelo governador Aécio Neves (MG), e pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso-- se reuniu hoje com os governadores Lúcio Alcântara (CE), Cássio Lima (PB) e Marconi Perillo (GO) num hotel da zona sul de São Paulo.

Bruno Miranda/Folha Imagem
Alckmin é o candidato do PSDB à sucessão presidencial
Alckmin é o candidato do PSDB à sucessão presidencial
Os encontros aconteceram um dia depois de Serra anunciar, pela primeira vez publicamente, a disposição de sair candidato à sucessão presidencial. Depois desse anúncio, ele se reuniu ontem à noite, por quatro horas, com Tasso, FHC e Aécio.

Hoje, antes do anúncio oficial do partido, Serra conversou com Alckmin sobre o processo de escolha do candidato do partido. Em nome da unidade partidária e para evitar a realização de prévias, Serra desistiu de sua candidatura e abriu caminho para a oficialização do nome de Alckmin como candidato do partido.

Adversários

Dependendo da análise do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a validade da emenda constitucional que acaba com a verticalização, os adversários de Alckmin na eleição de outubro serão o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a senadora Heloísa Helena (PSOL-AL), e o candidato do PMDB a ser escolhido nas prévias do partido, marcadas para domingo.

O ex-governador e secretário licenciado do Rio, Anthony Garotinho, e o governador licenciado do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, são os pré-candidatos peemedebistas.

Nas últimas semanas, circularam rumores entre os partidários tucanos que Serra poderia sair candidato ao governo de São Paulo.

Biografia

O governador de São Paulo nasceu em Pindamonhangaba, interior do Estado de São Paulo, em 7 de novembro de 1952. Em 1972, com 19 anos, foi o vereador mais votado de Pindamonhangaba. Quatro anos depois foi eleito prefeito de Pindamonhangaba e exerceu mandato de seis anos.

Em 1982, elegeu-se deputado estadual e, em 86, foi eleito deputado federal pelo PMDB. Foi vice-líder da bancada do partido na Assembléia Nacional Constituinte e, posteriormente, um dos fundadores do Partido da Social Democracia Brasileira, o PSDB.

Em 1990, Alckmin foi reeleito deputado federal como o quarto mais votado do PSDB-SP. Neste segundo mandato, foi autor do projeto do Código de Defesa do Consumidor e relator, na Câmara dos Deputados, do projeto que se converteu na Lei de Benefícios da Previdência Social.

Também foi autor de um dos projetos que se converteram na Loas (Lei Orgânica da Assistência Social) e relator do projeto de lei que facilita e disciplina a doação de órgãos para transplantes. Em 94, foi eleito vice-governador na chapa de Mário Covas.

Em 2000, Alckmin foi o candidato tucano à Prefeitura de São Paulo, quando obteve 952.890 votos (17,21% dos válidos) no primeiro turno, ficando atrás de Paulo Maluf (na época no PPB) por 7.691 votos de diferença.

Em janeiro de 2001, o tucano assumiu interinamente o governo do Estado de São Paulo, após afastamento médico de Mário Covas. Nas eleições de 2002, Alckmin foi reeleito com 58,64% (12.008.819 mi) dos votos válidos. O candidato do PT ao governo paulista, José Genoino, obteve 41,36% (8.470.863).

Leia mais
  • Jaques Wagner diz que força de Alckmin será medida na campanha
  • Em 1º discurso como candidato, Alckmin defende a ética e critica Lula
  • "Pânico" leva cover de Lula para felicitar Alckmin

    Especial
  • Veja galeria de fotos de Geraldo Alckmin
  • Leia o que já foi publicado sobre Geraldo Alckmin
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página