Asia Argento, que acusou Weinstein, fez acordo com homem que a acusava

Entre as primeiras a denunciar o produtor, atriz paga R$ 1,5 milhão a jovem que a culpa de delito semelhante

Jimmy Bennett e Asia Argento - AFP
Kim Severson
Nova York | The New York Times


A atriz italiana Asia Argento esteve entre as primeiras mulheres da indústria do cinema a acusar publicamente o produtor Harvey Weinstein de agressão sexual. Ela se tornou uma das figuras mais importantes do movimento #MeToo. Seu namorado, o astro da culinária televisiva Anthony Bourdain, entrou na briga em sua defesa.

Mas nos meses que se seguiram a suas revelações sobre Weinstein, em outubro do ano passado, Argento chegou discretamente a um acordo para pagar US$ 380 mil (R$ 1,5 milhão) a um homem que a acusava por delito semelhante: Jimmy Bennett, um jovem ator e músico, a acusou de assediá-lo sexualmente em um quarto de hotel da Califórnia, anos atrás, quando ele tinha 17 anos e dois meses de idade e ela tinha 37. Na Califórnia, sexo entre adultos e menores de 18 anos é ilegal.

A acusação e o acordo monetário subsequente são delineados em documentos trocados pelos advogados de Argento e Bennett, que é ator desde criança e interpretou o filho de Argento em um filme.

Os documentos foram enviados ao The New York Times em um email criptografado e de fonte anônima, e incluem um selfie que mostra os dois na cama, em 9 de maio de 2013. Como parte do acordo, Bennett, 22, entregou a foto e os direitos autorais sobre ela a Argento, 42.

Três pessoas informadas sobre o caso afirmaram que os documentos são autênticos.

O The New York Times tentou repetidamente obter uma resposta de Argento e seus representantes sobre o assunto, de quinta-feira para cá. Ela não respondeu a recados deixados em seu telefone, a mensagens de email diretas e a mensagens enviadas a dois de seus agentes, que concordaram em retransmiti-las a Argento. Carrie Goldberg, a advogada de Argento no caso, leu as mensagens de email do The New York Times, de acordo com duas pessoas informadas sobre o caso, mas não as respondeu. Uma mulher que atendeu o telefone no escritório de Goldberg na sexta-feira disse que a advogada não discutiria o assunto.

Bennett, que vive em Los Angeles, não aceitou um pedido de entrevista, de acordo com seu advogado Gordon Sattro. "Nos próximos dias", disse Sattro, "Jimmy continuará a fazer o que vem fazendo nos últimos meses e anos: vai se concentrar na música".

Em uma carta endereçada a Argento em abril confirmando os detalhes finais do acordo e estabelecendo um cronograma de pagamentos, Goldberg caracterizou o dinheiro como "ajuda a Bennett".

"Esperamos que nada de parecido volte a acontecer com você", escreveu Goldberg. "Você é uma criadora forte e inspiradora, e é uma condição miserável da vida que você viva entre péssimas pessoas que tiraram vantagem do que você tem forte e do que você tem de fraco".

Mas para Bennett, que quando criança contracenou com, e impressionou, Harrison Ford e Bruce Willis, e ganhou o apelido "Jimmy Two-Takes" [Jimmy Duas Tomadas] porque raramente esquecia seu dialogo, o encontro naquele quarto de hotel em 2013 foi uma traição que precipitou uma espiral de problemas emocionais, de acordo com os documentos.

As consequências da "agressão sexual" foram tão traumáticas que prejudicaram o trabalho de Bennett, e sua renda, e colocaram em risco sua saúde mental, de acordo com uma carta na qual seu advogado notificava Richard Hoffsteter, advogado de Bourdain por muito tempo e na época também advogado de Argento, sobre sua intenção de abrir um processo.

Argento, que vive em Roma, subsequentemente contratou Goldberg - advogada conhecida por defender vítimas de ataques online. (Hofstetter está cuidando do espólio de Bourdain, que se matou em junho. Ainda que Bourdain tenha ajudado Argento a tratar do caso, nem Hofstetter nem Kimberly Witherspoon, por muito tempo agente de Bourdain e hoje porta-voz de sua mulher Ottavia Busia, de quem ele estava separado, quiseram comentar para este artigo.)

A notificação de Bennett quanto à sua intenção de abrir um processo falava em indenização de US$ 3,5 milhões por danos emocionais deliberados, perda de faturamento e agressão física. A renda de Bennett nos cinco anos anteriores ao episódio com Argento em 2013 foi de US$ 2,7 milhões, mas depois disso caiu para em média US$ 60 mil por ano, o que ele atribui ao trauma por seu encontro sexual com Argento, escreveu seu advogado.

Em outubro, um mês antes que Bennett apresentasse sua queixa, a revista New Yorker publicou um artigo de Ronan Farrow que incluía Argento em uma lista de 13 mulheres que acusavam Weinstein de assédio e estupro.

O pai de Asia Argento, Dario Argento, é um conhecido diretor de filmes de terror, na Itália, e ela começou sua carreira como atriz na infância, conquistando dois prêmios David di Donatello, o equivalente italiano do Oscar; Argento também dirigiu filmes, escreveu um romance e gravou discos como cantora.

Depois de se pronunciar contra Weinstein, Argento rapidamente se tornou uma das vozes mais poderosas entre as mulheres que sofreram maus tratos da parte de homens poderosos em Hollywood. Em maio, ela fez um discurso forte no Festival de Cannes, definindo o evento como o "campo de caça" de Weinstein. Ela contou ter sido estuprada por ele lá em 1997, quando tinha 21 anos.

O relacionamento entre Argento e Weinstein prosseguiu por diversos anos, depois disso, e ocasionalmente incluía sexo, segundo a New Yorker. Argento, que trabalhou como atriz em um filme produzido por Weinstein, disse à revista que temia despertar a raiva dele. Era uma situação complicada, na qual ela se sentia impotente. "Depois do estupro, ele venceu", Argento disse a Farrow.

Weinstein se declarou inocente de seis acusações criminais em Nova York, entre as quais estupro em primeiro grau. Nenhuma delas envolvia Argento. Os advogados dele afirmam que o relacionamento entre os dois era consensual.

Bourdain, que era fã do trabalho do pai de Argento há muito tempo, a conheceu quando estava gravando um episódio de seu programa "Parts Unknown", da rede de notícias CNN, em Roma, no final de 2016. Os dois começaram a namorar e Bourdain mais tarde se tornou um dos defensores de Argento quando ela passou a ocupar papel central na batalha contra o assédio e agressão sexual, discursando em conferências e na Universidade Harvard.

Para Bennett, ver Argento se apresentar como vítima de agressão sexual era inadmissível, escreveu o advogado dele, e despertava memórias do acontecido naquele quarto de hotel. "Os sentimentos dele sobre aquele dia ganharam destaque recentemente quando Argento começou a atrair atenção como uma das vítimas de Harvey Weinstein", escreveu Sattro em sua notificação de que pretendia iniciar um processo.

Argento, que é divorciada e tem dois filhos, era uma mentora e uma figura materna para Bennett, diz o documento, e os dois mantiveram contato intermitente ao longo dos anos. "A impressão de Jimmy de que o relacionamento entre eles era como o de uma mãe e filho cresceu de suas experiências no estúdio", disse Sattro.

Bennett começou a atuar aos seis anos de idade, quando foi escalado para um comercial do Dodge Caravan. Ele apareceu em dezenas de outros comerciais, e interpretou papéis em diversos programas de TV, Sua prolífica carreira cinematográfica começou em 2003, no filme "A Creche do Papai", com Eddie Murphy.

Bennett tinha sete anos ao ser escalado para o filme "Maldito Coração" (2004), filme que Argento dirigiu, estrelou e coescreveu.

O roteiro, baseado em um livro de JT LeRoy, descreve o amargo relacionamento entre uma prostituta viciada em drogas, interpretada por Argento, e seu filho, interpretado por Bennett e dois outros atores mais jovens. A personagem de Argento veste o filho de menina para atrair homens, e o menino termina estuprado.

Em entrevistas e posts na mídia social ao longo dos anos, os dois se referiam um ao outro como mãe e filho.

Em 9 de maio de 2013, quando se encontrariam no quarto de Argento no hotel Ritz-Carlton de Marina del Rey, Califórnia, ela postou no Instagram que estava "esperando meu filho perdido meu amor @jimmymbennett ansiosamente #marinadelrey fumando cigarros como se o mundo fosse acabar".

Bennett respondeu: "Estou chegando".

Bennett, que tem um problema de vista que o impede de dirigir, foi levado ao hotel naquela manhã por uma pessoa de sua família, de acordo com os documentos.

Os documentos detalham o relato de Bennett: Argento pediu que o acompanhante dele fosse embora, porque queria ficar sozinha com Bennett. Ofereceu-lhe álcool e lhe mostrou uma série de bilhetes que tinha escrito para ele em papel de carta do hotel. Depois o beijou, o empurrou para a cama, tirou suas calças e começou a fazer sexo oral nele. Em seguida, montou sobre ele e os dois fizeram sexo, segundo o documento. Mais tarde, pediu que ele tirasse diversas fotos.

Horas depois, ela postou uma das fotos no Instagram com a legenda "dia mais feliz da minha vida reunião com @jimmymbennett xox", e acrescentou que "jimmy estará no meu próximo filme, pode ter certeza". Esse e outros posts constam dos documentos, acompanhados por três fotos aparentemente tiradas por Bennett que o mostram na cama com Argento, os dois com o torso nu. (Só uma das fotos tiradas na cama mostra seus rostos.)

Os dois almoçaram, e Bennett voltou para casa no condado de Orange, onde vivia com os pais. No caminho de casa, afirmam os documentos, ele começou a se sentir "extremamente confuso, acabrunhado, e enojado".

Mas um mês mais tarde ele enviou uma mensagem a Argento no Twitter: "Sinto sua falta, momma!!!", que incluía una foto de uma pulseira que ela lhe deu para celebrar o filme. (A conta de Bennett no Twitter foi desativada recentemente.)

No mesmo mês, ele confrontou sua mãe e pai adotivo sobre a situação de um fundo no qual parte do dinheiro que ele ganhou como ator estava depositado, de acordo com um processo que ele abriu em outubro de 2014 no Tribunal Superior do condado de Orange.

Bennett afirmava na queixa que seus pais proibiram seu acesso à casa da família e se apoderarem de suas propriedades, e que ao longo dos anos haviam se apropriado de pelo menos US$ 1,5 milhão de seus ganhos. Ele se declarou falido, e que seu aluguel estava atrasado em dois meses. O caso foi encerrado por acordo em dezembro de 2014, em termos não revelados.

No acordo entre Argento e Bennett, ela concordou em lhe pagar US$ 380 mil em 18 meses, começando com um pagamento de US$ 200 mil feito em abril, de acordo com uma carta na qual Goldberg delineava os termos do acordo para Argento.

O acordo não proíbe que qualquer das partes discuta o assunto. Na carta, Goldberg explicava que a lei da Califórnia proíbe cláusulas de confidencialidade em contratos civis envolvendo acusações como as que fez Bennett.

Goldberg escreveu que uma alternativa seria contornar as leis da Califórnia usando advogados de Nova York e argumentado que as leis de Nova York é que se aplicam ao acordo.

"Por fim, você decidiu contra a cláusula de confidencialidade porque sentia que isso era incompatível com a mensagem pública que vinha difundindo sobre o perigo das cláusulas de confidencialidade para a sociedade", ela escreveu a Argento.

"Bennett poderia teoricamente informar a terceiros sobre sua queixa contra você", ela escreveu. "Mas nos termos do acordo não poderia processá-la por elas. E tampouco postar a foto de vocês dois".

"No mínimo", acrescentou Goldberg, "ele não pode incomodá-la pedindo mais dinheiro, denegri-la ou abrir processos contra você - desde que você cumpra suas obrigações no acordo".

Ainda que não se saiba se Bennett e Argento conversaram desde que o pagamento foi feito, Argento parece continuar a expressar apoio a ele. Em 17 de julho, ela deu um "like" a um autorretrato que o mostrava pensativo e Bennett postou no Instagram. Boa parte do conteúdo da conta dele foi removido, depois disso.

 

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.