Aos 75, IAB-SP procura renovação e maior atuação junto à sociedade civil

Seção paulista da entidade de arquitetos fechou mês de comemorações com premiação especial

Membros da atual diretoria na sede do IAB-SP: sentados, Fernando Túlio e Maria Cláudia Levy; de pé, Marco Artigas e Maria Helena Flynn  - Eduardo Knapp/Folhapress
Francesca Angiolillo
São Paulo

A esquina onde fica a sede do IAB-SP é hoje um ponto movimentado do centro da capital paulista.

Nas imediações do encontro das ruas Bento Freitas e General Jardim, bares, restaurantes, faculdade, galerias e escritórios de arquitetura parecem orbitar o prédio construído sob coordenação de Rino Levi para abrigar a entidade de classe dos arquitetos.

Quase dá para esquecer que, uns anos atrás, o lugar tinha um ar mais para decadente.

O Instituto de Arquitetos do Brasil nasceu no Rio, em 1921, mas só em novembro de 1943 veio à luz o ramo paulista, pouco depois do braço mineiro, o segundo a se articular.

O mês de comemoração dos 75 anos se encerrou na quinta (6), com a entrega do prêmio IAB-SP. A premiação, que recebeu número recorde de inscrições —294 trabalhos, para 14 categorias— suspensa desde 2012, deve agora retomar um ritmo bienal. (Veja a lista completa dos vencedores no fim deste texto.)

Inaugurada em 1949, a sede do IAB-SP, com suas varandas e fachadas desencontradas, seu pano de vidro que deixa ver o pilar assinalando a esquina e sua caixa de tijolos aparentes foi espaço de reunião, não só de arquitetos, no Clube dos Artistas e Amigos da Arte, o famoso Clubinho, por anos.

Mas o edifício, que é tombado, sofreu por anos os efeitos da má conservação, até ser restaurado pela gestão passada da entidade.

Os problemas físicos decorriam de problemas da entidade, que não se mantém com as taxas pagas pelos associados.

Assim, tendo herdado o edifício recuperado, era preciso que a atual gestão, que assumiu no ano passado, arrumasse a casa noutro sentido.

Era necessário, por exemplo, atrair mais associados. Para isso, implementaram-se taxas diferenciadas, mais altas para quem tem mais tempo de profissão, e pagamento parcelado da anuidade.

Contudo a busca por equilíbrio financeiro não é a única razão para tentar ampliar o número de associados.

Ela, afinal, não serviria para amortizar a grande dívida que vinha se acumulando e que a atual gestão herdou, apesar dos esforços da diretoria anterior, da ordem de R$ 2,2 milhões —resultado de gastos que eram de R$ 42 mil mensais, com receita de menos de 10% disso.

A busca por maior participação, principalmente, reflete o esforço por ampliar a atuação do IAB junto à sociedade civil. É algo que a atual gestão tem procurado ativamente.

O presidente do IAB-SP, Fernando Túlio, 31, resume o que pretende a atual diretoria —composta de homens e mulheres em relação equilibrada, e com representantes de diferentes gerações.

 
Para ele, a marca da gestão é “reafirmar o papel do IAB em relação à agenda urbana brasileira”. Uma primeira medida foi aumentar a presença em conselhos variados.

Foram feitos chamamentos para interessados participarem de grupos temáticos, como mobilidade e patrimônio, que se reúnem regularmente e levam o posicionamento da entidade de classe aos conselhos —cerca de 50— nos quais o IAB-SP tem assento hoje.

Além da atuação no campo dos debates para implementação de políticas públicas, a associação também tem proposto ações diretas, como desenvolver projetos para requalificar o espaço de escolas em todo o estado, em parceria com a Secretaria de Educação.

Com iniciativas como editais e leilão de parede —realizaram o segundo em novembro, para ajudar a financiar a Bienal de Arquitetura de 2019—, além do aluguel de duas lojas para a galeria Central e para o restaurante Z Deli, vêm pagando contas e viabilizando projetos.

Membros da diretoria do IAB-SP vistos a partir de fora da sede; no andar de cima, Fernando Túlio e Maria Cláudia Levy; no de baixo Marco Artigas e Maria Helena Flynn - Eduardo Knapp/Folhapress

Conheça os vencedores da premiação IAB-SP

Edificação esidencial unifamiliar

  • Executado: Casa Havaí - São Paulo (SP)

     Autores: Chico Barros, Alexandre Gervásio, Erico Botteselli, Lucas Thomé e Pedro de Bona.

     Colaboradores: Nathália Lorena, Liene Baptista, Thaís Coelho e Vinícius Costa.

  • Projeto: Casa Cunha - Cunha (SP)

     Autores: Luís Tavares e Marinho Velloso.

Edificação residencial multifamiliar e uso misto

  • Executado:  Conjunto Caledonian Somosaguas - Madri (Espanha)

     Autor: Marcio Kogan.

    Coautora: Suzana Glogowski; colaboradores: Carlos Costa, Elisa Friedman, Giovanni Meirelles, Laura       Guedes, Mariana Simas, Tamara Lichtenstein.

    Interiores: Diana Radomysler e Henrique Lopez Granado.

  • Projeto:  apenas menções honrosas

Edificação comercial e industrial

  • Executado:  Sede para uma fábrica de bloco - Avaré (SP)

     Autores: Anna Juni, Enk te Winkel, Gustavo Delonero e André Nunes.

  • Projeto:  apenas menções honrosas

Edificação institucional

  • Executado:  Instituto Moreira Salles - São Paulo (SP)

     Autores: Vinicius Andrade, Marcelo Morettin, Renata Andrulis e Marcelo Maia Rosa.

    Coordenadores: Adriane De Luca e Raphael Souza.

    Colaboradores: Carlos Eduardo Miller, Felipe Fuchs, Fernanda Carlovich, Fernanda Mangini, Gabriel Sepe, Jaqueline Lessa, Melissa Kawahara.

    Estagiários: Eduardo Miller, Guilherme Torres e Daniel Zahoul.

  • Projeto:  Escola da Pedra Furada  - Povoado de Pedra Furada, Santa Luzia do Intanhy (SE)

     Autores: Rodrigo Carvalho Lacerda, Guile Canhisares Amadeu e Sofia Croso Mazzuco.

     Colaboradores: Gustavo Prado Fontes, Robernildo Araújo, Andresa Oliveira e NUPPE – Núcleo de Projetos, Pesquisa e Extensão em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Tiradentes (coordenação professora Pedrianne Dantas)

    Estagiários: Annare Reis e Matheus dos Santos.

Planejamento Urbano

  • Executado:  Setor Habitacional Pôr-do-Sol - Brasília (DF)

     Autores: Emerson Vidigal, Eron Costin, Fabio Henrique Faria, João Gabriel Rosa e Martin Kaufer Goic.

     Colaboradores: Daniela Moro, Gabriel Tomich e Matheus Fernandes.

  • Projeto:  Plano Diretor Espacializado de Mogi das Cruzes (SP)

      Autores: Carlos Leite, Cláudio Rodrigues e Renata Harada).

      Colaboradores: Fabiana Stuchi, Danilo Bocchini, Marlon Longo, Tales Ferretti. Fernanda Moreira, Giovanna Cassavia (Estagiárias). Jose Apparecido Jr. (Consultor legislação urbana), Sander Rezende; Adriana Silveira; Adriana Takao; Wellington Nunes.

Desenho urbano e arquitetura da paisagem

  • Executado:  Sistema de parques lineares do rio Piracicaba e novo Parque Renato Wagner - Piracicaba (SP)

     Autores: Carlos Leite e Fabiana Stuchi.

     Colaboradores: Arquitetos: Danilo Bocchini, Thayse Portugal, Francisco Costardi, Daniela Melo, Eric Senedese. Estagiária: Fernanda Moreira.

     Fotografia: Mayra Acayaba.

  • Projeto: Parque do Cocó - Fortaleza (CE)

      Autores: Marina Grinover, Catherine Otondo, Luisa Fecchio, Rafael Andrade, Maria Gabriela R. Nacimento, Eduardo Radomysler.

     Equipe: Paula Lemos, Nicolas Le Roux e Luis Rossi.

     Colaboradores: Eugênio F. Queiroga, Tomaz G. Kipnis, Armando S. dos Reis Neto e Bhakta Krpa.

Arquitetura efêmera

  • Executado: Calçada de Todas as Cores

     Autores: Guilherme Ortenblad, Lao Napolitano

     Colaboradores: Rosa Clara Alves, Bruno Spinardi, Kathleen Chiang, Karin Kussaba, Pedro Borba, Ticiane Alencar, Gabriel Tunes, Michaela de Araujo

  • Projeto: Pavilhão Mextropoli 2018 - Cidade do México (México)

     Autores: Thiago Benucci, Vitor Pissaia

     Colaboradores: Camila Farah, Guilherme Paschoal

Arquitetura de interiores

  • Executado: Espaço Núcleo Pulso – São Paulo (SP)

     Autores: Luiz Florence, André Sant’Anna da Silva, Gabriel Manzi, Ivo Magaldi, Lucas Girard, Luís Pompeo, Moreno Zaidan Garcia e Tiago Oakley.

    Colaboradores: Anelise Bertolini, João Miguel Silva, Juliano Machado, Leonardo Klis, Mario do Val, Fernanda Schelp, Julia Bruckmann e Lucas Menezes.

Madeira

  • Executado: Micasa Volume C - São Paulo (SP)

     Autor: Marcio Kogan

     Coautor: Marcio Tanaka

     Equipe de Projeto: Carlos Costa, Diana Radomysler, Laura Guedes, Mariana Ruzante, Mariana Simas, Oswaldo Pessano, Raquel Reznicek, Renata Furlanetto, Samanta Cafardo e Tamara Lichtenstein.

  • Projeto: Sede Administrativa da Mucji - Peruíbe (SP)

     Autores: Tiago Oakley, André Sant’Anna da Silva, Gabriel Manzi, Ivo Magaldi, Lucas Girard, Luís Pompeo, Luiz Florence e Moreno Zaidan Garcia.

    Colaboradores: Anelise Bertolini, João Miguel Silva, Juliano Machado, Leonardo Klis, Mario do Val, Ana Paula Lopes, Carmem Aires, Chayene Cardoso, Gustavo Wierman, Lucas Menezes, Pedro Giunti e Priscila Fernandes.

Restauro e requalificação

  • Executado: Cais do Sertão - Recife (PE)

     Autores: Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz.

     CoAutores: Pedro Del Guerra, Cícero Ferraz Cruz e Luciana Dornellas

  • Projeto: Readequação do Páteo do Collegio - São Paulo (SP)

     Autor: Pedro Mendes da Rocha

Publicações de arquitetura

  • Escola da Cidade, pela Revista Cadernos de Pesquisa (n. 6, out. 2018), org. por Marianna Boghosian Al Assal e pelo livro "O Edifício da FAUUSP de Vilanova Artigas", de Antonio Carlos Barossi

Estudantes

  • Além da Transposição - Estudo e intervenção na Brasilândia

      Autores: Bianca Bonachela de Oliveira, Caroline Viana de Souza, Luis Henrique Scavassa, Rafael Letizio Sedeño Pinto, Vinicio Diani e Yêdda Magalhães Figueredo.

     Instituição de Ensino: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

     Orientadores: Profª. Drª. Catharina Pinheiro Cordeiro dos Santos Lima e Profª. Drª. Karina Leitão Oliveira.

Fotografia de arquitetura e cidade  

  • Fotógrafo Manuel Sá, pelo conjunto das obras inscritas: Praça das Artes, Ibirapuera, Casa do Carnaval, Sesc Pompeia, Apartamento no Eiffel e Casa QP

Ativismo urbano (voto popular)

  • Brincadeiras no quarteirão, de Juliana Di Cesare Marques Awad, com colaboração de Maria de Fátima Aranha Totti

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.