Conheça os filmes dirigidos por Domingos Oliveira, morto aos 82 anos

Autor de cerca de 25 títulos, ele era conhecido como Woody Allen brasileiro

São Paulo

Apelidado de o Woody Allen brasileiro graças às obras românticas e autobiográficas, Domingos Oliveira morreu neste sábado (23) aos 82 anos.

O cineasta, dramaturgo e ator começou sua carreira no teatro, aos 27 anos, e de lá projetou-se para as telas. No cinema, dirigiu cerca de 25 filmes, muitos adaptados de peças de sua autoria. Veja alguns destaques abaixo:

Domingos Oliveira no cinema

BR 716 (2016)
No último filme do diretor, Caio Blat interpreta um alter ego de Domingos. O título é uma referência ao endereço do cineasta quando jovem, ponto de encontro da juventude boêmia pré-golpe de 1964: a rua Barata Ribeiro 716, Copacabana.

INFÂNCIA (2014)
Adaptação de “Do Fundo do Lago Escuro”, peça de Domingos dos anos 1980, o filme tem Fernanda Montenegro no elenco e acompanha os momentos mais importantes na vida do personagem Dominguinho em um casarão. O filme teve recepção crítica morna na época de seu lançamento.

Domingos de Oliveira e Fernanda Montenegro em cena do filme "Infância", de 2014
Domingos de Oliveira e Fernanda Montenegro em cena do filme 'Infância', de 2014 - Divulgação

TODO MUNDO TEM PROBLEMAS SEXUAIS (2008)
Pinçadas de cartas que o psicanalista Alberto Godin recebia em sua coluna no jornal, as esquetes que foram sucesso no teatro ganharam versão cinematográfica em 2008. Durante o lançamento do filme no Festival do Rio, o protagonista de ambas as obras, Pedro Cardoso, causou polêmica ao recitar um manifesto contra nudez na telona, que ele considerava desnecessária.

SEPARAÇÕES (2002)
Protagonizado pelo próprio Domingos Oliveira e sua mulher na vida real, Priscilla Rozenbaum, a trama também adaptada do teatro analisa as etapas da separação de um casal.

Priscila Rozembaum e Domingos Oliveira em cena de "Separações", de 2002
Priscilla Rozenbaum e Domingos Oliveira em cena de "Separações", de 2002 - Reprodução

TODAS AS MULHERES DO MUNDO (1967)
Considerado uma das comédias românticas inaugurais do cinema brasileiro, o primeiro filme de Domingos conta a história de amor do mulherengo Paulo, interpretado por Paulo José, e a professora Maria Alice, papel de Leila Diniz.

Paulo José e Leila Diniz em 'Todas as Mulheres do Mundo', de Domingos de Oliveira, de 1966
Paulo José e Leila Diniz em 'Todas as Mulheres do Mundo', de Domingos de Oliveira, de 1966 - Reprodução

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.