Autora acusada de plágio tem venda de livros bloqueada na Justiça

Determinação judicial segue ação da americana Nora Roberts contra Cristiane Serruya

A escritora Cristiane Serruya, 49, acusada de plágio pela autora americana Nora Roberts
A escritora Cristiane Serruya, 49, acusada de plágio pela autora americana Nora Roberts - Divulgação
São Paulo

A Justiça determinou a suspensão da venda de livros, ebooks e audiobooks de Cristiane Serruya, 49, que é acusada de plágio em ação movida pela escritora americana Nora Roberts.

Por meio de liminar, também obriga que os royalties obtidos pela brasileira com vendas recentes sejam bloqueados.

O plágio foi apontado por Roberts e identificado em livros como “Royal Love”, “Royal Affair” e “Unbroken Love”. As livrarias que fazem a venda online dessas obras, segundo o documento, também devem conter o aviso “suspensa a venda por ordem judicial”. 

Além de Roberts, cerca de outros 40 autores também denunciaram Serruya pela cópia de trechos de 93 livros, segundo uma lista do site Caffeinated Fae. Muitas das acusações foram feitas acompanhadas da hashtag #CopyPasteCris (#CrisCopiaCola) no Twitter.

À Folha, Serruya disse que “estão pinçando” de seus livros “frases soltas, comuns”. “Vou responder às acusações no foro correto, que é o da Justiça”, completou.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.