Descrição de chapéu Cinema

'O Rei Leão' erra ao reproduzir vida de felinos na savana

Filme deveria se chamar 'Rainha Leoa' e Simba nunca voltaria, diz especialista

Knvul Sheikh
Nova York | The New York Times

O novo “Rei Leão” traz o javali flatulento preferido do público, girafas graciosas, elefantes corpulentos e todo um elenco de animais de aparência realista.

Ver Simba e sua turma tentando reconquistar o lugar que lhes é de direito talvez leve o espectador a imaginar que o filme da Disney é uma descrição bem acurada do que acontece nas savanas da África.

Mas o filme não é um documentário sobre a natureza. Os leões verdadeiros não reinam sobre as demais criaturas. E certamente não tentam voltar para casa depois de deixarem a alcateia. A Disney foi bastante criativa ao descrever o comportamento dos leões e a dinâmica de suas famílias, dizem zoólogos e pesquisadores sobre felinos.

Se o filme fosse fiel à vida dos grandes felinos, a rivalidade entre o pai de Simba, Mufasa, e seu tio, Scar, não teria existido, e o filhotinho de leão não teria sido forçado a fugir quando ainda era tão pequeno. 

Na verdade, Mufasa não teria reinado sobre a alcateia, para começar.

“Uma alcateia de leões é sempre liderada por uma matriarca”, disse Craig Saffoe, curador de grandes felinos no Zoológico Nacional Smithsonian, em Washington. A mãe de Simba, Sarabi, teria sido a líder mais provável do grupo. E o filme teria sido mais exato se adotasse o nome “A Rainha Leoa”.

Ainda que os leões machos pareçam muito maiores e mais agressivos, as fêmeas são mais dominantes, disse Saffoe. Tomam as decisões mais importantes, se encarregam da caça e dos filhotes. Também precisam proteger seus territórios contra outras fêmeas intrusas e decidir quando admitir novos machos.

Em uma alcateia típica africana, há entre três e seis fêmeas adultas e é comum que diversas gerações de fêmeas aparentadas convivam no mesmo grupo, o que torna a sociedade dos leões fortemente matriarcal.

Dois ou três machos adultos também vivem com as fêmeas. Em geral são irmãos ou companheiros seletos que se unem para ajudar a protegê-las. Mas permanecem na alcateia por apenas alguns anos —o suficiente para produzir mais filhotes— antes de partir em busca de um novo grupo.

Assim, se a Disney tivesse seguido o comportamento típico dos grande felinos, Scar e Mufasa teriam coexistido alegremente na alcateia. “É possível que Mufasa tivesse posição mais dominante na coalizão, mas uma das fêmeas seria dominante sobre ambos os machos”, diz Saffoe.

Um aspecto da vida familiar dos leões que a Disney retratou corretamente, porém, é a afeição que Mufasa demonstra com relação ao filho.

Quando os machos adultos retornam de sua patrulhas pelo território, parecem se divertir no convívio com os filhotes, com muitas lambidas, esfregadas de cabeça e ronronares envolvidos. “É ridiculamente fofo”, disse Saffoe.

Em uma alcateia, cada leão tem entre dois e quatro filhotes, todos os quais desfrutam da atenção dos pais.

Às vezes, leoas têm um só filhote, o que poderia criar um relacionamento como o que existe entre Simba e Mufasa.

Mas mesmo quando há mais filhotes em torno, os machos adultos tratam com igual ternura todos os pequeninos. Isso acontece porque, quando leoas ovulam, os diversos óvulos que produzem podem ser fertilizados por um só macho ou por machos diferentes. “Os pais não sabem que filhotes são seus e assim decidem ser gentis com todos eles, como regra geral de comportamento”, disse Craig Pecker, diretor do Centro de Pesquisa de Leões da Universidade de Minnesota.

Para os filhotes machos, o afeto dura até cerca os dois anos de idade. Se Mufasa tivesse sobrevivido até os dois anos de idade de Simba, ele o teria expulsado da alcateia. Em seguida, Simba percorreria a savana sem rumo certo por um ou dois anos, e por volta dos cinco se tornaria parte de uma nova família.

Na Área de Conservação Transnacional de Kavango Zambezi (Kaza), uma grande rede de parques que abarca territórios de cinco países africanos, os pesquisadores raramente raramente veem o retorno de leões machos às suas alcateias maternas, depois que partem. Assim, não importa por que Simba tivesse partido, ou que as teorias de conspiração que apontam parentesco entre Simba e Nala estejam certas, é improvável que ele retornasse à sua alcateia de infância, da qual faz parte a sua amada.

"A dispersão dos machos é um mecanismo evolutivo para garantir que a diversidade genética continue a existir entre os leões", disse Kim Young-Overton, zoóloga e diretora da Panthera, uma organização mundial que luta pela conservação dos felinos, na área de Kaza.

Na natureza, os machos em muitos casos se deslocam por mais de 150 quilômetros, do território de sua alcateia de origem, para encontrar um novo lar. Se comida e água forem escassas, eles podem sair em buscas ainda mais distantes, disse Young-Overton.

Os "habitats" dos leões estão se fragmentando, porém. A espécie agora se limita a apenas 8% de seu alcance histórico, que no passado incluía praticamente todo o continente africano. Em áreas nas quais antes viviam leões, seres humanos estão desenvolvendo terras para agricultura e mineração. E, em algumas delas, a presença de gado começa a substituir as presas naturais dos leões, o que gera conflitos entre humanos e leões; leões são mortos em represália por seus ataques a cabeças de gado valiosas. Caça clandestina e predatória também reduz a população.

Hoje há menos de 20 mil leões na África, e eles são definidos como vulneráveis a extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza, que determina o status de conservação das espécies. Os leões já estão extintos, ou possivelmente extintos, em 29 países africanos.

"O número de leões caiu em cerca de 50% desde o filme anterior", lançado em 1994, disse Paul Funston, diretor sênior do programa de leões da Panthera.

Tradução de Paulo Migliacci

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do informado, Sarabi é mãe de Simba e não esposa. O texto foi corrigido

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.