Descrição de chapéu Coronavírus

Conheça MC Rayban, que fez 'bactériaaa' virar grito de guerra contra coronavírus

Camelô que viralizou com funk sobre Covid-19 assina contrato e faz música sobre auxílio emergencial

Samara Oliveira
Rio de Janeiro

Em meio à tensão diante da pandemia do novo coronavírus, há quem consiga provocar o riso dos brasileiros. Foi o caso de um vídeo de um comerciante cantando um funk chamado "Bactéria #FDP", no camelódromo popular da rua Uruguaiana, no centro do Rio de Janeiro. No final de março, a filmagem viralizou nas redes sociais.

O hit sobre a Covid-19 que rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter é de autoria de Jelson Pereira dos Santos, 38, que se tornou conhecido como MC Rayban.

Além da repercussão na rede de microblogs, o funk gerou, só no YouTube, pelo menos 20 versões, com remixes ou outros ritmos —samba, pagode, voz e violão. O vídeo original, publicado na rede em 29 de março, tem quase 200 mil visualizações.

MC Rayban, autor de "Bactéria #FDP", funk sobre o corovanírus
MC Rayban, autor de "Bactéria #FDP", funk sobre o coronavírus - Divulgação

No funk, o vírus é xingado, chamado de bactéria e micróbio, acusado de "empatar foda" e atrasar os trabalhos, mas o recado final é o de que será derrotado por um Brasil unido onde "não tem mole pra Covid-19 nem 20". O MC, que estudou até a sétima série, diz saber que bactéria e vírus não são sinônimos, mas que não tem conhecimento científico para diferenciar os termos.

Rayban, que já foi MC Jésinho e MC Jel, entre outros nomes, ganha a vida vendendo óculos de sol no camelódromo onde o vídeo foi gravado por um passante. O mais recente nome artístico se concretizou justamente pelo grito que usa para atrair os clientes.

Por causa da pandemia, Rayban é mais um dos brasileiros que não conseguem arcar com suas contas —e que também não conseguiu até agora o auxílio emergencial de R$ 600 oferecido pelo governo. Ainda sem conseguir retorno financeiro com a música, o cantor e o irmão contam com a ajuda da mãe, de amigos e projetos sociais, além da compreensão do locatário, já que não conseguiram pagar o aluguel da casa que dividem. A situação, porém, pode mudar em breve, já que o MC acaba de assinar um contrato com o selo musical Blast, parceiro da Sony Music.

Nascido em Três Rios, no interior do estado do Rio de Janeiro, MC Rayban diz ter ligação com a música desde a infância. A mãe do cantor, Marilda Vieira, 68, se divorciou do pai do MC e criou os filhos sozinha. Para isso, complementava a renda de doméstica cantando em bares e festas particulares. Em casa, desde criança, Jelson já escrevia paródias e suas próprias músicas.

Recém-chegado à cidade do Rio, morando com o irmão no morro da Providência, no bairro Gamboa, há seis meses, o MC conta que fez a letra sem dificuldade, só "analisando a situação em que o Brasil se encontra". Apesar de ter sido surpreendido pela repercussão do vídeo, Mc Rayban, que é pai de um jovem de 16 anos, diz que a intenção é tirar um pouco do pânico provocado pelas constantes notícias de mortos e infectados.

“Minha música é um grito entalado do povo. Vemos os governantes falando o tempo todo disso e nós, a população mais carente, tem necessidade de gritar. Nessa selva de pedra é o povo que tem a força do leão. Essa forma descontraída de tratar esse problema é um jeito de quebrar a tensão, para tirar o medo”, afirmou.

Mesmo levando a situação de forma cômica, o MC reconhece a gravidade do problema. "A situação é realmente séria, precisamos nos cuidar com as recomendações de higiene. Tenho todo respeito as famílias da vítima e aos que se foram”, disse.

Rayban diz que vai lançar outras músicas em torno desse tema. O funk "Bactéria #FDP" será gravado em estúdio e lançado no próximo dia 25 em plataformas de streaming. Outras faixas, como "Cachaça com Limão" e uma sobre o auxílio emergencial, também estão nos planos do cantor.

O músico avisa que havia um perfil falso no Twitter que se passava por ele e pedia dinheiro para gravar músicas. E esclarece que suas redes sociais são: @mcraybanreal, no Instagram, e @MCRayban1, no Twitter. O MC ainda não tem Facebook.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.