Descrição de chapéu greve dos caminhoneiros

Sem ração, animais devem ser submetidos ao abate sanitário, afirma diretor da ABPA

Bichos já começam a morrer e praticar canibalismo

Ana Luiza Albuquerque
Curitiba

Com racionamento de ração em função dos protestos nas rodovias, os animais das indústrias de frango e suínos devem ser sacrificados antes do abate (abate sanitário). É o que relata o diretor-executivo da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), Ricardo Santin. "É uma possibilidade que terá que ser exercida provavelmente a partir de amanhã", disse, nesta quinta (24). 

Segundo ele, as empresas não estão conseguindo levar alimento aos animais, que já começam a morrer e praticar canibalismo. "Trabalhamos com todas as normas de bem-estar para o abate, mas não estamos conseguindo cumprir com as regras porque estão sem comida", diz.

Segundo Santin, 120 frigoríficos estão fechados no país e o prejuízo nas exportações de aves e suínos já supera os U$ 100 milhões. "Mas o maior problema agora é em relação à sobrevivência dos animais."

O diretor da ABPA afirma que não há perda de qualidade dos alimentos, que já haviam sido produzidos. Ele também diz que a associação está buscando conversar localmente com os caminhoneiros para fazer o atendimento mínimo dos lugares onde já falta carne.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.