Apoiador de Bolsonaro, dono da Havan entra para lista de bilionários

Luciano Hang tem fortuna estimada em US$ 2,2 bilhões, segundo Forbes

São Paulo

O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, é um dos estreantes brasileiros na lista de bilionários da revista Forbes em 2019. Com uma fortuna estimada em US$ 2,2 bilhões (R$ 8,3 bilhões), ele ficou na 1.057ª posição mundial.

Junto dele, na mesma posição, aparece outro novato na lista, o fundador da empresa de fertilizantes Fertipar, Alceu Elias Feldmann.

Também estreantes no ranking estão Candido Pinheiro Koren de Lima, da Hapvida, Ricardo Villela Marinho e Rodolfo Villela Marinho, netos do fundador do banco Itaú, e Luiza Trajano, presidente do conselho do Magazine Luiza.

No ranking formado só por brasileiros, Hang aparece na 21ª colocação, empatado com outros bilionários, como José Luis Cutrale (sucos Cutrale), José Moll Filho (Rede D'Or São Luiz) e Ermírio Pereira de Moraes (Grupo Votorantim).

Neste ano, o empresário Jorge Paulo Lemann perdeu o posto de mais rico do país para o banqueiro Jospeh Safra, que também alcançou o posto de banqueiro mais rico do mundo, de acordo com a lista da publicação. 

Luciano Hang, presidente da Havan
Luciano Hang, presidente da Havan - Divulgação

1 milhão de empregos

Hang estava entre os empresários simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que planejavam começar 2019 impulsionando a geração de vagas de trabalho em uma tentativa de estimular a economia.

A ideia era criar uma onda de novos empregos no primeiro mês do mandato do novo presidente, em uma iniciativa chamada de "empregue mais um", organizada pelo movimento Brasil 200.

Durante a campanha eleitoral de 2018, Hang causou polêmica ao gravar um vídeo pedindo para que os funcionários da Havan votassem em Jair Bolsorano para presidente da República.

Com UOL

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.