Descrição de chapéu Previdência

Maia diz que agora cada hora e cada voto são decisivos para aprovar Previdência

Presidente da Câmara afirmou também que confia em fim da votação na Casa nesta semana

Danielle Brant
Brasília

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira (9) que cada hora é decisiva para passar a reforma da Previdência e disse confiar em que as mudanças na aposentadoria podem ser aprovadas pelos parlamentares em votação em dois turnos ainda nesta semana.

Maia falou a jornalistas ao chegar à Câmara dos Deputados para uma reunião de líderes. O objetivo é negociar a votação da reforma, que, nesta terça-feira, começa a ser apreciada no plenário da Casa em primeiro turno.

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - Pedro Ladeira - 03.jul.2019/Folhapress

O governo precisa de pelo menos 308 votos a favor (três quintos) em dois turnos no plenário da Câmara para que a proposta siga para apreciação no Senado, onde terá que ser aprovada por, no mínimo, 49 senadores.

O Planalto e o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, contabilizam ter entre 320 e 340 votos favoráveis, enquanto a oposição afirma que o governo tem, no máximo, 260 votos a favor das mudanças nas regras de aposentadoria.

“Agora, cada hora é decisiva. Eu vou ter que saber até 15h [desta terça] quantos deputados eu tenho em Brasília. Isso tudo é decisivo”, afirmou Maia, que disse estar atuando para resolver problemas de última hora que podem atrapalhar a votação.

Nas contas de Maia, para assegurar os 308 votos, seria necessário haver ao menos 350 parlamentares com expectativa de votar a favor da reforma. “É uma organização que precisa de muito cuidado.”

Ainda assim, o presidente da Câmara disse estar confiante em votar os dois turnos nesta semana. “Se a gente conseguir o número de parlamentares para pelo menos começar a votação do principal hoje, na madrugada, seguir com os destaques amanhã, a gente passa a ter a quinta e a sexta para votar o segundo turno”, afirmou.

“Eu, como sempre sou otimista, acho que a gente consegue acabar antes de sábado, mas, para o Parlamento, o ideal é que a gente consiga acabar nesta semana, apesar de ser uma análise otimista da minha parte.”

Para ele, o mais importante é garantir a votação em primeiro turno nesta semana. “A gente pode ter a tarde inteira para fazer o debate, aí pode ter três ou quatro horas de debate. Em vez de ter uma sessão de obstruções, uma sessão de debates”, defendeu.

Maia acredita que a maioria dos destaques apresentados ao texto aprovado na madrugada de sexta-feira em comissão especial na Câmara virá de partidos de esquerda, os quais não qualificou como oposição. “Oposição não, porque oposição é o governo”, disse. “Na maioria, pelo que eu ouço, se tiver destaque, vai ser só um destaque”, afirmou o parlamentar, que não quis especificar qual seria.

Ele afirmou ainda que será difícil incluir estados e municípios na reforma na Câmara. “Eu sou a favor da inclusão dos estados, entendo os motivos da não inclusão, acho que a gente perderia a votação com a inclusão dos estados, mas acho que cada estado tem também a condição de fazer a sua reforma.” 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.