ANP diz que greve de petroleiros ainda não impacta suprimento de combustíveis

País tem estoques para garantir até dez dias de consumo e pode contar com importações

Rio de Janeiro

O diretor da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustiveis) Felipe Kury afirmou nesta terça (18) que ainda não há sinais de problemas de abastecimento de combustíveis devido à greve dos petroleiros, que completa 18 dias.

De acordo com ele, a ANP vem acompanhando a situação em conjunto com a sala de crise da Petrobras e, até agora, a estatal tem conseguido operar suas unidades operacionais apesar da forte adesão dos empregados à greve.

Ele afirmou, porém, que a manutenção da produção dependerá de quanto tempo a Petrobras conseguirá manter a operação com equipes de contingência antes de acordo para suspender a paralisação.

"Até o momento, a Petrobras bem gerenciando com muita cautela, muita tranquilidade", disse, após evento promovido pela agência no Rio.

Kury destacou que o país tem estoques estratégicos para garantir de oito a dez dias de consumo e pode contar ainda com importações de combustíveis em caso de problemas no suprimento. Os estoques variam de acordo com a região e a proximidade com estruturas de produção e importação dos produtos.

Segundo os petroleiros, cerca de 21 mil empregados da Petrobras aderiram à greve, com paralisações em 121 unidades operacionais da empresa. Na segunda (17), o ministro do TST (Tribunal Superior do Trabalho), Ives Gandra, declarou a greve ilegal, mas os sindicatos decidiram recorrer e manter a greve.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.