Descrição de chapéu google internet

Google aproveita recuperação global da publicidade e tem receita recorde

Unidades de publicidade da gigante das buscas faturaram US$ 46,2 bilhões, quase 22% a mais que no ano anterior

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Georgia Wells
The Wall Street Journal

O Google se beneficiou de um aumento nos gastos online nos feriados de Natal e Ano Novo e teve receita recorde no quarto trimestre, apesar de ter revelado pela primeira vez perdas contínuas em sua divisão de nuvem, que é observada de perto.

O faturamento da titã da internet, divulgado na tarde de terça-feira (2), refletiu uma recuperação contínua nos gastos globais em publicidade que sofreram um golpe no início de 2020, quando as pessoas suspenderam planos de viagens e outros gastos devido à pandemia do coronavírus.

A empresa controladora do Google, Alphabet, publicou uma receita recorde de US$ 56,9 bilhões, contra US$ 43,2 bilhões um ano atrás. As unidades de publicidade da companhia faturaram US$ 46,2 bilhões, uma alta de quase 22% em relação ao ano anterior. Analistas tinham previsto US$ 52,7 bilhões em faturamento, incluindo US$ 42,3 bilhões de publicidade, segundo a FactSet.


O lucro da Alphabet também cresceu, para US$ 15,7 bilhões, contra US$ 9,3 bilhões um ano atrás. Analistas esperavam US$ 11,9 bilhões.

Ruth Porat, diretora financeira do Google, disse que as unidades de buscas e YouTube da empresa conduziram seu desempenho no trimestre. "A atividade dos consumidores e de empresas se recuperou em relação ao início do ano", disse ela.

As ações da Alphabet saltaram mais de 5% nos negócios após o pregão. A ação ganhou cerca de 17% em relação aos últimos três meses, comparados com um ganho aproximado de 22% no Índice Composto Nasdaq.

O Google também revelou pela primeira vez detalhes sobre os custos de sua divisão de nuvem. Enquanto essa unidade faturou US$ 3,8 bilhões em receitas, no total a empresa perdeu US$ 1,2 bilhão no quarto trimestre. Esse anúncio permitirá que os investidores comparem melhor os resultados do negócio de nuvem do Google com os da Amazon e da Microsoft.

Enquanto isso, na terça-feira, a Amazon nomeou seu guru da computação em nuvem para CEO de toda a companhia.

Analistas esperavam que o negócio de nuvem do Google faturasse US$ 3,83 bilhões, segundo a FactSet, comparados com US$ 2,61 bilhões há um ano.

O Google conseguiu contratar clientes famosos para seu negócio de nuvem. Na segunda-feira, a Ford Motor Co. disse que decidiu usar o Google para serviços de nuvem para ajudar a desenvolver funções internas de carros e administrar a montanha de dados transmitida por seus veículos.

A forte temporada de férias também aumentou a montanha de dinheiro da Alphabet, que hoje está em US$ 26,5 bilhões. A Alphabet registrou uma posição de caixa de US$ 20,1 bilhões no início de outubro.

Mas o Google enfrenta desafios cada vez maiores. Uma série de processos antitruste alegam vários abusos de poder sobre comércio online e informação digital. Eles dizem que o Google expulsa a concorrência e vende os usuários que afirma proteger.

Um pequeno número de empregados do Google também formaram um sindicato. Eles disseram que seus esforços refletem a necessidade de os empregados poderem se manifestar sobre a companhia sem enfrentar repercussões profissionais.

Na segunda, o Departamento do Trabalho disse que o Google concordou em pagar mais de US$ 3,8 milhões para resolver um caso de contratação e discriminação nos salários em vários locais na Califórnia e no estado de Washington.

O Google disse que hoje tem mais de 135 mil empregados.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.