Carrefour anuncia compra do Grupo Big Brasil por R$ 7,5 bilhões

Negócio expandirá a presença da rede, que se consolida na liderança do setor, no Nordeste e no Sul

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo e Brasília

O Carrefour Brasil anunciou nesta quarta-feira (24) a compra do Grupo Big, terceiro maior varejista de alimentos do país, por R$ 7,5 bilhões.

Com a compra, o Carrefour se consolida na primeira posição do setor. Segundo o último ranking Ibevar-FIA, a rede teve faturamento de R$ 62,2 bilhões em 2019, seguido por GPA (Pão de Açúcar, Extra e Compre Bem), com R$ 61,5 bilhões, e Big (R$ 24,5 bilhões).

Combinados, Carrefour e Big tiveram faturamento de R$ 86,7 bilhões em 2019, cerca de 61% acima do segundo colocado. Em 2020, o Carrefour Brasil faturou 74,751 bilhões.

O negócio acontece dois meses após o fracasso da fusão com o grupo canadense Couche-Tard e expandirá a presença da rede francesa em regiões onde tem penetração limitada, como o Nordeste e o Sul do país, e que oferecem forte potencial de crescimento.

Em nota, o Carrefour que a aquisição permitirá a oferta de uma gama mais ampla de produtos e serviços a preços mais competitivos. Também reforçará a presença da rede em formatos como os supermercados (99 lojas Bompreço e Nacional) e soft discount (97 lojas Todo Dia).

O presidente de uma concorrente afirmou que a aquisição trará ganho de mercado ao Carrefour, mas não deverá haver aumento de seu poder de barganha porque a rede já é grande.

O acordo foi celebrado entre o Carrefour Brasil, a Advent International Corporation e a Brazil Holdings S.C.S, companhia controlada pelo Walmart.

O grupo também vai atuar em um novo segmento de mercado com o formato Sam's Club, através de um contrato de licenciamento com o Walmart. Este modelo de negócios é baseado em um sistema de associados, com mais de 2 milhões de membros, e tem um forte foco em produtos de marca própria.

Com a notícia, as ações do Carrefour Brasil fecharam em alta de 12,77%, a R$ 21,73, maior alta do Ibovespa, que cedeu 1%. Durante o pregão desta quarta, chegaram a subir 16,24%. O concorrente GPA (Grupo Pão de Açúcar) caiu 4,3% e as ações do Carrefour francês na Bolsa de Paris subiram 2,3%, a 15,09 euros.

O grupo Carrefour anunciou a aquisição do Grupo Big, terceiro maior varejista de alimentos do Brasil - AFP

"Nosso grupo está na ofensiva: a aquisição do Grupo Big é um movimento de transformação importante para o Carrefour Brasil", disse o presidente-executivo, Alexandre Bompard.

Esta é a maior aquisição do grupo desde que ele assumiu a gestão do Carrefour em 2017.

"As sinergias significativas geradas por esta transação são um trampolim para a criação de valor adicional e uma adição poderosa ao modelo de crescimento lucrativo que estabelecemos em nosso grupo", acrescentou.

Para o consultor de varejo e sócio-diretor da GF Consulting, Jean Paul Rebetez, o movimento de compras de grandes grupos e diversificação é uma tendência no varejo, que vai além do setor supermercadista. Ele cita como exemplos as ampliações de frentes de atuação de lojas como o Magazine Luiza e a expansão do Mercado Livre.

Além de supermercados e hipermercados dos segmentos popular e premium, o Big tem 13 postos de gasolina.

“Essa operação vai nacionalizar ainda mais o Carrefour, ampliando formatos que já existiam no ecossistema dele e agregando o formato adicional de venda através do cliente associado com o Sam's Club. Essa nova empresa vem muito mais robusta do que eles já são”, afirma.

Na avaliação de Rebetez, o Carrefour é a rede que mais investe em diversificação de negócios.

“Com essa aquisição, o Carrefour chega a quase R$100 milhões de faturamento ao ano. Eles atuam com bancos, drogaria, combustível, investem em logística, ecommerce, investem em alimentos e não-alimentos. É uma empresa que está se configurando com uma oferta muito poderosa também para o consumidor”, disse.

De acordo com o coordenador de varejo da FGV (Fundação Getulio Vargas), Ulysses Reis, a concentração de mercado nem sempre se reverte em preços mais altos para o consumidor. Segundo o especialista, a redução no chamado giro de estoque, a exemplo do que acontece com a varejista Costco, nos Estados Unidos, poderá reduzir os preços praticados pela rede.

“O supermercado ganha dinheiro de duas formas: ou comprando barato e vendendo caro ou aumenta a velocidade que o produto entra no estoque e é revendido. Na medida em que eles melhoram tecnologicamente, esse movimento chamado de giro aumenta. Se o giro aumenta, o preço cai”, avalia.

A aquisição do Big será de 70% em dinheiro e 30% por meio de ações recém emitidas do Carrefour Brasil.

Cada ação ordinária de emissão do Grupo Big será substituída por ações do Carrefour Brasil, sendo emitido um total de 116.822.430 papéis, que não poderão ser transferidos pelos vendedores por até seis meses.

O Carrefour Brasil concordou em realizar um adiantamento de R$ 900 milhões, que será deduzido do montante total final da operação quando for concluída.

Assim que concluída a operação, o Grupo Carrefour irá deter 67,7% de participação do Grupo Carrefour Brasil (ante 71,6% hoje) e a Península Participações (empresa de investimentos da família de Abilio Diniz) terá 7,2%, enquanto a Advent e o Walmart, através de entidades afiliadas, terão juntos 5,6%.

"Em mais de seis décadas atuando no varejo, posso dizer que este é um dos movimentos mais importantes na história do mercado brasileiro", afirmou, em nota, Abilio.

As vendas combinadas do Carrefour Brasil e do Big Group somam cerca de R$ 100 bilhões. Juntas, as duas operam 876 lojas e empregam cerca de 137 mil trabalhadores, disse a empresa.

O Grupo Big, ex-subsidiária local do Walmart, está no Brasil desde 1995 com uma rede de 387 lojas, 41 mil funcionários e presença em 19 estados. Registrou R$ 24,9 bilhões em vendas brutas em 2020.

Atualmente, o Carrefour atende 45 milhões clientes no Brasil e ampliará a sua base com a adição de mais de 15 milhões de clientes do Big.

Se aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a aquisição do Grupo Big trará ao portfólio do Carrefour uma rede com 387 lojas (47% próprias), 41 mil funcionários, 15 centros de distribuição e seis atacados de entrega.

Com Reuters e AFP

RAIO-X

Carrefour, em 2020
Faturamento R$ 74,751 bilhões
Vendas líquidas R$ 67,640 bilhões
Ebitda ajustado R$ 5,610 bilhões
Clientes 45 milhões
Unidades 692 lojas
Bandeiras Carrefour, Carrefour Banco, Carrefour.com, Atacadão

Grupo Big, em 2020
Faturamento* R$ 24,5 bilhões (*2019)
Vendas líquidas R$21,7 bilhões
Ebitda ajustado R$ 0,9 bilhão
Clientes 15 milhões
Unidades 387 lojas
Bandeiras Big, Big Bompreço, Bompreço, TodoDia Maxxi Atacado e Sam’s Club (clube de compras)

Principais concorrentes
GPA, Cencosud, Super Muffato

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.