Folha e FGV Ibre debatem inserção da mulher no mercado de trabalho

Pandemia traz obstáculos que se somam a dificuldades históricas no avanço feminino

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A pandemia atingiu a participação da mulher no mercado de trabalho em diferentes frentes. Além da sobrecarga pela atividade doméstica e pelo cuidado dos filhos, a devastação do emprego no setor de serviços, que concentra a ocupação feminina, piora o cenário.

Os obstáculos colocados pela crise sanitária se somam a dificuldades históricas enfrentadas pelas mulheres, como o equilíbrio ao patamar salarial dos homens, uma barreira ainda não superada, a despeito do avanço da presença delas nas últimas décadas.

O fechamento de 2020 apontou os sinais do prejuízo com uma desocupação de 16,4% entre as mulheres enquanto a taxa dos homens ficou em 11,9% no último trimestre do ano, segundo a Pnad Contínua, do IBGE.

A perspectiva é que a pandemia deixará sequelas na proporção feminina no mercado de trabalho mesmo depois que o avanço da vacinação trouxer algum alívio para o emprego no país.


Para debater o tema, a Folha e o Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas) farão nesta quinta-feira (22), a partir das 10h, o seminário online "A inserção das mulheres no mercado de trabalho".

As palestrantes são Ana Luiza Neves de Holanda Barbosa, pesquisadora do Ipea, Cecilia Machado, professora da FGV EPGE, e Laisa Racther, pesquisadora do FGV IBRE. A mediação do encontro, que será exibido pelo link abaixo, será feita pela colunista da Folha Joana Cunha.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.