Conheça marcas e produtos que surgiram durante grandes crises mundiais

Caos econômico e guerras motivaram a popularização do café solúvel e do leite condensado

Iara Biderman
São Paulo

Crises estão relacionadas à solução de problemas concretos. Essa é a interpretação de Leonardo Trevisan, professor de economia na ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) para a máxima "a necessidade é a mãe da invenção".

Mais do que o senso comum, Trevisan vê na história recente exemplos de produtos e marcas que surgiram em resposta a situações de caos político e econômico. Veja alguns deles.

Guerra Civil Americana

Leite condensado O processo de evaporar o leite e conservá-lo em açúcar para aumentar sua durabilidade foi inventado na França, em 1827. Mas foi um americano, Gail Borden Jr., quem industrializou o produto. Durante a Guerra Civil Americana (1861-1865), foi adotado como ração dos soldados. As latinhas garantiram calorias e alegria aos combatentes, que, ao fim da guerra, popularizaram o doce

Crise de 1929

Café solúvel A depressão econômica marcada pela quebra da Bolsa de Nova York, em 1929, atingiu boa parte do Ocidente. Mas algumas empresas souberam tirar proveito da crise. É o caso da Nestlé. A marca conseguiu dar um destino aos milhões de sacos de café que estavam sendo destruídos pela queda das vendas ao transformar os grãos em pó solúvel, que pode ser estocado por muito mais tempo que o grão torrado e moído. Em 1938, surgia o Nescafé, uma das marcas mais lucrativas da empresa

Segunda Guerra

Radar Embora o primeiro sistema de detecção e telemetria por rádio tenha sido construído nos primeiros anos do século 20, na Alemanha, foram os ingleses que desenvolveram o produto, em 1939, para diminuir a inferioridade da força aérea britânica frente ao inimigo alemão. Desenvolvido para uso militar, o radar é hoje um equipamento de amplo uso, para pesquisa, previsão meteorológica ou gerenciamento da mobilidade urbana

Pós-Guerra

Rádio de pilha Os protótipos de rádio transistorizado surgiram nos Estados Unidos entre 1947 e 1953. Mas foi no Japão que o radinho de pilha se materializou. O produto foi desenvolvido pela Tokyo Telecommunications Engineering Company, atual Sony. Lançado em 1954, fez a empresa, então com sete funcionários, crescer para 500 empregados em cinco anos

Nutella Inventada em 1951 pelo confeiteiro Pietro Ferrero, na Itália, para driblar a escassez do cacau. Ele bolou um creme à base de avelã (produto local) e açúcar, com apenas uma pitada de cacau. A fórmula recebeu o nome de Supercrema de Nutella e posteriormente virou um sucesso internacional com a Ferrero Rocher

Crise do Petróleo

Proálcool A crise do petróleo nos anos 1970-80 forçou governos e empresas a buscarem alternativas para evitar o colapso econômico. Uma delas, no Brasil, foi a criação do Proálcool (Programa Nacional do Álcool), para intensificar a produção do etanol em substituição à gasolina

Crise de 2008

Amazon A recessão gerou uma série de soluções para cortar custos das empresas. A Amazon cresceu ao resolver um problema do varejo: o estoque e armazenamento de mercadorias. Também foi pioneira no uso da tecnologia de coleta e uso de dados para atrair de volta consumidores afugentados pelas incertezas econômicas

Airbnb Outra resposta à crise foi aliar os avanços da tecnologia com novos ideais de compartilhamento. Assim foi criado o Airbnb, um sistema para baratear os serviços de hospedagem e oferecer chance de renda para donos de imóveis

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.