'Brexit' já custou ao Reino Unido mais de 2% do PIB, aponta estudo

Análise do UBS mostra que decisão de sair da UE fez o investimento cair e a inflação aumentar

Bloomberg

O plebiscito do "brexit" já custou ao Reino Unido mais de 2% da produção econômica antes mesmo de o país deixar formalmente a União Europeia, segundo análise do banco suíço UBS.

Em nota publicada na segunda-feira (3), o banco estimou que o produto interno bruto já está 2,1% menor do que se o Reino Unido tivesse votado pela permanência na UE e que o investimento está 4% mais fraco, a inflação está 1,5% mais alta e o consumo está 1,7% menor.

Protesto em Londres contra a decisão britânica de deixar a União Europeia
Protesto em Londres contra a decisão britânica de deixar a União Europeia - Daniel Leal-Olivas - 21.dez.2017/AFP

Apesar de o Reino Unido ter evitado a recessão projetada por alguns após o referendo de 2016, o crescimento tem sido inferior ao da maioria de seus principais pares.

O UBS informou que a aceleração da economia global nos últimos dois anos ajudou a mascarar alguns dos piores impactos do "brexit", permitindo que “o crescimento se mova lateralmente em vez de mergulhar mais fundo”.

Ainda assim, “para colocar esse declínio acumulado de 2,1% em crescimento real no contexto, trata-se de cerca de um quarto a um terço do custo total do "brexit" estimado nas avaliações mais pessimistas feitas antes do referendo da UE e quase igual aos custos totais de algumas das avaliações mais otimistas”, escreveram analistas do UBS, incluindo Pierre Lafourcade. “Mas o Reino Unido ainda nem saiu da UE!”

O UBS compilou os números comparando os dados econômicos atuais do Reino Unido com os de um “sósia” composto pelos dados de outros países não afetados pelo "brexit" para imitar o desempenho britânico antes do referendo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.