Ventos e chuvas do furacão Florence chegam à Carolina do Norte

Apesar de ter sido rebaixado para a categoria 2, ele ainda é considerado uma grave ameaça

Wilmington | Reuters

Os ventos do furacão Florence começaram a atingir a costa dos Estados Unidos nesta quinta-feira (13), horas após ele ser rebaixado para a categoria 2 (em uma escala de 5), com redução da velocidade dos ventos de 195 km/h para 155 km/h. 
 

Nuvem de chuva passa por Wilmington, na Carolina do Norte, um dia antes da previsão para a chegada do furacão Florence
Nuvem de chuva passa por Wilmington, na Carolina do Norte, um dia antes da previsão para a chegada do furacão Florence - Andrew Caballero-Reynolds/AFP

Apesar disso, o Florence ainda é extremamente perigoso e representa uma ameaça grave à região, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês). 

O governo da Carolina do Norte, Roy Cooper, fez um alerta: "Não relaxe, não seja complacente. Fique de guarda. Esta é uma tempestade poderosa e que ainda pode matar. Hoje a ameaça vira realidade". 

Segundo meteorologistas, o tamanho da tempestade e o fato de se mover lentamente podem provocar danos semelhantes aos vistos na região de Houston durante a passagem do furacão Harvey no ano passado.

"Quanto maior e mais devagar a tempestade for, maiores a ameaça e o impacto", afirmou o diretor do NHC, Ken Graham.

A previsão é que o centro do furacão chegue à Carolina do Norte nesta sexta (14) . São esperadas chuvas torrenciais e enchentes.

Apesar disso, moradores da região já sentem os primeiros efeitos do Florence. Já começou a chover no estado e mais de 19 mil pessoas afirmaram estar sem energia na região. Companhias aéreas já cancelaram cerca de 1.200 voos. Segundo as autoridades, os ventos já alcançam 119km/h em algumas cidades da costa.   

Depois da Carolina do Norte, o furacão deve ir para sudoeste e se mover ao longo do continente no sábado.

Segundo o NHC, ventos com força de tempestade tropical se estendem ao longo de 315 km a partir do centro do Florence, o que deixa uma longa faixa da costa sudeste americana vulnerável.

“O prazo para nos prepararmos está quase acabando”, disse o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper. "O desastre está na nossa porta e está chegando.”

Além da Carolina do Norte, declararam estado de emergência Carolina do Sul, Geórgia, Virgínia, Maryland e o Distrito de Colúmbia, onde fica a capital, Washington.

Estima-se que 10 milhões de pessoas vivam nas áreas que devem ser atingidas pelo Florence, de acordo com o Centro de Previsão Meteorológica dos EUA. Mais de 1,5 milhão de pessoas já tiveram que sair de suas casas por causa dos riscos de enchentes e fortes ventos. 

O presidente americano Donald Trump escreveu em uma rede social na tarde de quarta-feira que “é imperativo que todos sigam as ordens de retirada locais”. “Essa tempestade é extremamente perigosa. Esteja a salvo!”, disse.

Mais cedo, o republicano havia dito que o governo está “preparado para enfrentar o grande furacão” que está vindo. Também disse que ganharam “nota máxima” pelos recentes trabalhos no Texas, na Flórida e em Porto Rico, vítimas de tempestades recentemente.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.